Libração Lunar

O efeito da libração da Lua é um fenômeno visual que ocorre durante o ciclo de rotação e translação do nosso satélite natural terrestre, o efeito é causado pela coincidência da igualdade entre os próprios períodos de rotação e translação. O efeito que pode ser percebido na Terra é que a Lua aparentemente faz pequenos movimentos em relação ao observador da terra, que nos permitem ver aproximadamente 59% da superfície lunar, o que é contraintuitivo, já que o comum é ver apenas 50% de um corpo esferoide, que seria a face virada para nosso planeta, o efeito ocorre tanto na horizontal, quanto na vertical, ambos com causas particulares.

No caso da libração na vertical, este ocorre pelo fato da Lua ter um eixo de rotação com uma angulação própria em relação a rotação terrestre. Enquanto a nossa tem aproximados 23°26’, o ângulo de rotação da Lua é de 5°15’. Tal angulação faz com que a mesma passe por “estações”, que expõem mais a região Sul durante a metade do período e mais a região Norte durante a outra metade.

Já no caso da libração na horizontal lunar, recaímos numa demonstração prática da 2º Lei de Kepler (Lei das Áreas), a lei que demonstra que o segmento de reta que une o centro do Sol a um planeta varre áreas iguais em intervalo de tempos iguais, levando em consideração que a órbita da Lua é elíptica, em certos pontos ela está mais próxima da Terra (perigeu), em outros está longe (apogeu), de tal modo, ela possui uma velocidade angular maior ou menor, dependendo da posição em relação à Terra. Por esta razão, hora vemos mais o lado leste, hora mais o lado oeste lunar.

Juntando os elementos citados acima, temos o movimento de libração, que é representado no vídeo acima e no GIF na nossa página oficial do instagram.

Texto escrito por Rafael Melo, sócio da Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe.

 

Referências:

http://scaranojr.com.br

http://astro.if.ufrgs.br/lua/lua2.htm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *