Vapor d’água detectado na atmosfera de Europa

Onde tem água… O suposto oceano global de água na forma líquida abaixo da superfície da lua de Júpiter, Europa. É um dos lugares que os humanos planejam procurar por vida.

Concepção artística que mostra uma massiva pluma de água em erupção na superfície da lua. – Astronomy

  A lua de Júpiter, Europa, possui uma casca de gelo que faz os astrônomos pensarem que guarda um oceano de água líquida embaixo. Agora, cientistas finalmente fizeram a primeira medida do vapor de água preso na atmosfera de Europa, que serve como evidência mais convincente até o momento que de fato há erupção de plumas d’água da superfície congelada da lua.

A nova medida também implica que fora dos eventos da pluma, a atmosfera de Europa provavelmente tem menos vapor d’água no geral do que o que achavam anteriormente. As descobertas foram publicadas em 18 de novembro na Nature Astronomy.

Cientistas sabem desde 1960, que Europa é provavelmente o lar de oceano de água congelada e possuir um oceano de água na forma líquida logo abaixo da superfície. Eles até previram que a radiação de Júpiter poderia bombardear a superfície congelada da lua, consequentemente, liberando vapor d’água na atmosfera. Observações anteriores tinham avistado as plumas d’água em erupção na atmosfera da lua. Entretanto, pesquisadores não puderam confirmar que elas continham vapor d’água. Em um novo estudo, pesquisadores usaram o observatório Keck para observar a lua em 17 datas diferentes, no período entre fevereiro de 2016 e maio de 2017, procurando por comprimentos de onda específicos no infravermelho de luz emitidos pelo vapor d’água. Em uma noite, 26 de abril de 2016, eles viram quando seus instrumentos mediaram, uma surpreendente quantidade de vapor d’água – brutas 2,000 toneladas.

Mesmo que os pesquisadores tenham falhado em encontrar sinais de vapor d’água nas outras 16 noites, isso não significa que ele não estava se escondendo la o tempo todo. Em fato, a equipe acredita que algum vapor d’água existiu na atmosfera de Europa o tempo todo devido à radiação de Júpiter. Então, eles dizem que o único motivo para eles não terem visto, é que o vapor d’água é provavelmente muito escasso para os instrumentos detectarem.

No geral, as últimas medidas implicaram que o valor típico de vapor d’água na atmosfera de Europa em qualquer momento, é provavelmente menor do que se achava anteriormente. Isso significa que a medida que se destacou em 2016, veio de um evento isolado, como uma erupção de uma pluma de água na superfície da lua. Felizmente, as próximas missões espaciais, como Europa Clipper, O JUpiter ICy explorador de luas, ou o JUICE, observarão bem mais de perto a menor lua galileana de Júpiter.

Estou realmente esperando para poder acompanhar os estudos de Europa e de outros mundos oceânicos”, diz Lucas Paganini, um cientista planetário da NASA e um dos recentes autores do artigo. “Tem sido difícil detectar água na forma líquida. Esses detectores de água na forma de vapor, eu acho, são a coisa mais próxima que temos para pesquisa e procura de ambientes com água na forma líquida”.

– Revista Astronomy, março de 2020

Texto traduzido por Letícia Vasconcelos, sócia da Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe.

Imagem: https://astronomy.com/news/2019/11/astronomers-catch-water-erupting-from-plumes-on-jupiters-icy-moon-europa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *