Rover marciano Perseverance da NASA extrai o primeiro oxigênio do planeta vermelho

Técnicos do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA baixam o instrumento Experimento de Utilização de Recursos In-Situ de Oxigênio de Marte (MOXIE) na barriga do rover Perseverance. Créditos: NASA / JPL-Caltech

 

A crescente lista de “primeiros” da Perseverance, o mais novo robô de seis rodas da NASA na superfície marciana, inclui converter parte da fina atmosfera rica em dióxido de carbono para oxigênio. Do tamanho de uma torradeira, o instrumento da Perseverance chamado “Experimento de Utilização de Recursos Locais de Oxigênio de Marte” (MOXIE em inglês) realizou a tarefa. O teste ocorreu em 20 de abril, o sexagésimo dia marciano desde que a missão aterrissou em 18 de fevereiro.

 

Apesar da demonstração da tecnologia apenas ter começado, ela pode abrir caminho para a ficção científica se tornar fato científico – isolar e estocar oxigênio em Marte pode ajudar a alimentar foguetes que podem levantar astronautas da superfície do planeta. Tais dispositivos podem um dia prover ar respirável para os próprios astronautas. MOXIE é uma tecnologia de investigação de exploração – assim como a estação metereológica “Analisadora de Dinâmicas Ambientais de Marte” (MEDA em inglês) – e é patrocinada pelo “Diretório de Tecnologia de Missões Especiais”(STMD em inglês) e o Diretório de Missões de Exploração e Operação Humana da NASA.

 

A atmosfera de Marte é 96% dióxido de carbono. MOXIE trabalha separando átomos de oxigênio das moléculas de dióxido de carbono, que são feitas de um átomo de carbono e dois de oxigênio. O produto restante, monóxido de carbono, é emitido na atmosfera marciana.

 

O processo de conversão requer altos níveis de calor para atingir uma temperatura de aproximadamente 1.470 graus Fahrenheit (800 Celsius). Para acomodar isso, a unidade MOXIE é feita com materiais resistentes ao calor. Isso inclui peças de liga de níquel impressas em 3D, que aquecem e resfriam os gases que fluem através dele, e um aerogel leve que ajuda a manter o calor. Uma fina camada de ouro na parte externa do MOXIE reflete o calor infravermelho, evitando que ele irradie para fora e potencialmente danifique outras partes da Perseverance.

 

Nesta primeira operação, a produção de oxigênio do MOXIE foi bastante modesta – cerca de 5 gramas, equivalente a cerca de 10 minutos de oxigênio respirável para um astronauta. O MOXIE foi projetado para gerar até 10 gramas de oxigênio por hora.

 

“O MOXIE não é apenas o primeiro instrumento a produzir oxigênio em outro mundo”, disse Trudy Kortes, diretor de demonstrações de tecnologia do STMD. É a primeira tecnologia desse tipo que ajudará futuras missões a “viver da terra”, usando elementos do ambiente de outro mundo, também conhecido como utilização de recursos locais.

 

Tradutor: Lucas Silva Teixeira

Revisor: José Braulio

 

Texto original em inglês:

http://nasa.gov/press-release/nasa-s-perseverance-mars-rover-extracts-first-oxygen-from-red-planet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *