Hipótese do Grande Impacto

Um antigo impactador chamado Theia atingiu a Terra para criar a Lua. E uma nova pesquisa sugere que o resto do planeta ainda pode estar dentro da Terra.

 

Créditos da imagem: Jurik Peter/Shutterstock

 

Cientistas têm quase certeza de que ganhamos nosso satélite favorito, a Lua, depois que um planeta chamado Theia colidiu com a proto-Terra cerca de 4,5 bilhões de anos atrás. O que não é certo são os detalhes que cercam o destino de Theia [que nunca foi encontrada]. Qian Yuan, geocientista na Arizona State University, e seus colegas recentemente sugeriram uma nova linha de evidência: (…) Theia não apenas se chocou com a Terra, mas (…) restos de seu manto residem dentro dela.

 

Hipótese do grande impacto

(…)

Muito do trabalho em torno da hipótese do grande impacto envolve a comparação de isótopos encontrados na Lua com aqueles encontrados na Terra. Suas semelhanças na composição sugerem que a Lua é feita de um pedaço da Terra antiga, o que significa que algo como um grande impacto a arremessou de nosso planeta.

Os modelos originais estimavam que o planeta que colidiu conosco, Theia, tinha aproximadamente o tamanho de Marte (metade do tamanho da Terra hoje). Porém, alguns estudos recentes sugerem que pode ter sido mais ou menos quatro vezes o tamanho de Marte, ou aproximadamente o tamanho da proto-Terra (…)

 

Enquanto isso, na Terra

Hoje, (…) cerca de 8 por cento [do manto da Terra] é um pouco diferente do resto e forma dois montes gigantes perto do limite do manto do núcleo, (…) chamados Low-Shear-Velocity Provinces (LLSVPs ), nomeados assim pois as ondas sísmicas chamadas ondas de cisalhamento (shear waves) se movem (…) mais lentamente ao passar por elas. (…)

Alguns pesquisadores pensam que os LLSVPs desaceleram as ondas de cisalhamento porque estão em uma temperatura mais alta do que o resto do manto. Outros, como Yuan e seus colegas, pensam que são [regiões] mais densas e de composição diferente (…).

Yuan diz que estava participando de uma aula de geoquímica planetária (…), aprendendo sobre a hipótese do Grande Impacto(…). [Seu professor] mencionou que a parte mais fraca da teoria era o planeta hipotético Theia – ninguém jamais havia encontrado qualquer evidência direta para apoiar sua existência. Theia sumiu totalmente. Não há evidências em meteoritos ou em qualquer lugar, (…) “Foi quando me bateu a realização. Achei que, após o impacto, [Theia] teria entrado na Terra. Será possível que tenha se enterrado na Terra e formado os LLSVPs? ”

 

Procurando por Theia

 

O primeiro movimento de Yuan foi fazer alguns cálculos simples, primeiro comparando o tamanho dos dois LLSVPs com (…) uma estimativa aproximada para o [tamanho] de Theia. Ele descobriu que os dois LLSVPs tinham 80 ou 90 por cento do tamanho (…). Assim que ele somou à Lua: “Quase uma combinação perfeita”, diz ele. “Então, eu pensei, não é tanta loucura.”

[Para evidências detalhadas, ler o artigo original]

(…)

Yuan é o primeiro a enfatizar que ainda há muita incerteza em torno da nova ideia. “Temos que enfatizar que é uma hipótese, e estamos propondo isso pela primeira vez, ainda é muito novo.”

 

Tradução feita por: Guilherme Viana;

Arte feita por: Luana Beatriz;

 

Link para a matéria original completa:

https://astronomy.com/news/2021/04/there-might-be-remnants-of-an-ancient-planet-buried-inside-earth-yup

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *