Lua cinérea

A Lua nosso satélite que a cada ano nos deixa de maneira lenta, tem seus encantos. Pela proximidade com nosso planeta podemos vê-la de várias maneiras ao longo de sua órbita, nos majestosos eclipses e também em sua libração (movimento oscilatório gravitacional onde vemos áreas maiores que os disco lunar voltado para a terra, uma espécie de balanceio pendular da Lua). Um fenômeno pouco conhecido é o da luz cinérea, onde a parte não iluminada pelo sol no disco lunar, graças a reflexão das luz da terra que chega a essa região, faz com que possamos enxergar detalhes tênues mesmo sem incidência direta dos sol. Geralmente podemos ver bem esse fenômeno na Lua Crescente, logo após a fase de Lua Nova. É um fenômeno comum em alguns satélites no sistema solar, e Leonardo da Vinci já fazia esboços de tal observação.

 

When the Moon appears as a thin crescent in the twilight skies of Earth it is often possible to see that the rest of the disc is also faintly glowing. This phenomenon is called earthshine. It is due to sunlight reflecting off the Earth and illuminating the lunar surface. After reflection from Earth the colours in the light, shown as a rainbow in this picture, are significantly changed. By observing earthshine astronomers can study the properties of light reflected from Earth as if it were an exoplanet and search for signs of life. The reflected light is also strongly polarised and studying the polarisation as well as the intensity at different colours allows for much more sensitive tests for the presence of life. Crédito:ESO/L: https://www.eso.org/public/brazil/images/eso1210c/

 

No dia 20 de setembro, o colaborador da SEASE e astrofotógrafo Denis Santana, fez este belíssimo registro da Lua e sua luz cinérea e compartilhou conosco. É um fenômeno belíssimo e muito bem registrado, em breve traremos mais astrofotografias para nossos leitores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *