Uma galáxia e três buracos negros supermassivos

 

Quando galáxias se fundem, os seus buracos negros supermassivos também se fundem. No provisório, achar dois buracos supermassivos dividindo o mesmo quarteirão não é incomum. Porém agora, de acordo com um estudo publicado online em 14 de janeiro na Astronomy & Astrophysics, uma equipe internacional de astrônomos descobriu uma única galáxia que é lar de não apenas dois, mas três buracos supermassivos.

NGC 6240 está a aproximadamente 300 milhões de anos-luz. Sua forma tem sido visivelmente distorcida pelos efeitos gravitacionais da junção das galáxias colidindo a centenas de quilômetros por segundo. Portanto, os pesquisadores esperavam achar dois buracos negros supermassivos se escondendo perto do centro da colisão cósmica.

Mas no lugar, quando deles espreitaram o centro da NGC 6240 com o mapeador 3D do explorador espectroscópico de várias unidades do telescópio Very large no Chile, a equipe achou três buracos negros supermassivos. Cada um deles pesa mais de 90 milhões de Sóis. (Para comparação, o buraco negro supermassivo no centro da Via Láctea, Sagitário A, pesa cerca de 4 milhões de massas solares) O que mais, os três gigantes buracos negros da NGC 6240 estão todos abarrotados em uma região que tem menos de 3 mil anos-luz de comprimento, que é menor que 1% do tamanho da galáxia que eles residem.

“Até agora, tal concentração de três buracos negros supermassivos nunca tinha sido descoberta no universo.” diz o coautor do estudo, Peter Weilbacher do instituto Leibniz para astrofísicos Potsdam, em um comunicado da imprensa. Apesar de astrônomos terem encontrado anteriormente instâncias de três galáxias separadas em rotas de colisão, é a primeira vez que eles testemunham um trio de buracos negros supermassivos abarrotados em um lugar tão pequeno.

Esse achado não é apenas uma descoberta interessante, ele mostra como múltiplas galáxias podem se juntar simultaneamente para construir a maior galáxia do universo. Esse é um processo que tem intrigado astrônomos, hoje se observa galáxias muito grandes para terem sido construías lentamente, duas galáxias se fundiram apesar da idade do universo de aproximadamente 14 bilhões de anos.

 

 

“Se…processos simultâneos de junção de várias galáxias acontecessem, então a maior galáxia com os buracos negros supermassivos dela, seria capaz de evoluir bem mais rápido” disse Weilbacher. “Nossas observações nos deram a primeira indicação para esse cenário”- A.K.

 

 

  • Autora da matéria: Alison Klesman, Editora Associada Senior da Astronomy;
  • Publicada pela revista Astronomy em Abril de 2020;
  • Tradução: Letícia Vasconcelos, Sócia e Coordenadora de divulgação científica da SEASE;
  • Crédito das imagens usadas: P. Weilbacher, Leibniz Institute for Astrophysics Potsdam / NASA / ESA / Hubble Heritage / STScI / AURA / Hubble Collaboration / A. Evans, University of Virginia, Charlottesville / NRAO / Stony Brook University;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *