Programa Arthemis

Nova  Alvorada para Exploração Espacial Nesta Década.

 

   A humanidade é capaz de grande feitos pela exploração e curiosidade, uma mistura que a ciência se mantém e nessa década, algo grandioso surge, o Programa Arthemis da NASA, para retornar feitos de quase 50 anos atrás na Lua, mas de forma inovadora, levando a primeira mulher e com mais parceiros internacionais e participações de empresas privadas e com um tratado e este programa será base para viagens a Marte dentre 2030. 

 

Roteiro do Programa:

  •      A NASA junto com seus parceiros como a agências Espacial Europeia (sigla ESA, em inglês para European Space Agency) para 1° missão tripulada em 2024 e permanência sustentável em 2028 na Lua. Porém para isso devem cumprir a agenda de trabalhos e desenvolvimento de toda tecnologia para tal feito.

 

        Em 2021 serão executados testes dos instrumentos científicos e tecnológicos  para superfícies lunar por meio da iniciativa privada, a exemplo da tão famigerada Space X. A partir daí até 2024 quando será a 1° missão tripulada do programa  Ártemis a chegar a Lua, ocorrerá uma série de testes dos veículos e instrumentação e uma viagem circum-orbital a Lua.

 

  • Do Space Launch System até a  Gateway:

           A cápsula Orion que transportará os astronautas será lançada pela mais novo colosso espacial da NASA desde do Saturn V, O Space Launch System (SLS), que este foguete não só transportará os astronautas mas também terá eficácia em transportar cargas para o programa, sendo até então, o melhor foguete em desenvolvimento para missões desse porte.

Representação artística do próprio Space Launch System em lançamento. Fonte: NASA


1° Estágio do SLS em teste de pressão. Fonte : NASA

    O SLS é de incrível versatilidade, podendo carregar instrumentos maiores, em que os projetistas possam reduzir complicações do projeto e tornando as missões mais seguras. O SLS também terá o Exploration Upper Stage (uma parte de armazenamento de carga) maior, assim suportará missões humanas e robóticas mais capazes para o espaço profundo e num único lançamento levaria a nave Orion e um pequeno módulo de habitação no espaço profundo, sistemas de exploração maiores e mais naves científicas nuuma única carenagem da carga útil. Essa é de fato uma arquitetura perfeita para inovações.

      A nave Orion é mais nova cápsula para viagens ao espaço, dedicado ao programa Ártemis. Os testes deste já começaram a ser executados para sua primeira missão tripulada em 2022, a exemplo a capacidade de abortamento já foram testados.

A nave Orion será feita pela agência espacial europeia (ESA) sendo aí uma das primeiras parceiras espaciais do programa. Crédito: ESA

 

Crédito: Revista Astro Nova e ESA

 

Representação artística da Nave Orion.            Crédito: NASA

       Mas, a grande novidade será a estação espacial lunar Gateway, a partir desta vai diferir do antigo programa Apollo, pois os astronautas vão da nave Orion para estação e nesta para o módulo de pouso  lunar. Assim facilitando as missão e possibilitando novos experimentos e logística, além das estadia lunar poder ser mais longa.

Representação artística da estação espacial Gateway. o desenvolvimento dela será de uma incrível logística e cooperação internacional. O compartimento amarelo é o módulo de pouso lunar. Crédito: NASA

       Os módulos da estação serão lançados pelo SLS e montada na órbita lunar, sendo a 1° estação espacial lunar da história e a experiência de uso nesta, será crucial para missões futuras.

 

  • A Ártemis 3:

              Até 2024, já ocorrerá as missões de testes Ártemis 1, em que não será tripulada e colocará a nave Orion em órbita da Lua e Ártemis 2 a qual vai ser tripulada, porém somente vai ser uma missão orbital, além da Gateway já estará construída e também a NASA tem interesse de enviar uma missão robótica para colher amostras e procurá água no polo sul lunar.

             Daí em diante após todos os testes, o palco lunar vai estar pronto para Ártemis 3, a qual será a 1° missão tripulada para superfície lunar do programa Ártemis, em ordem histórica, a 7° missão. ( A 1° Foi Apollo 11, 2°: Apollo 12, 3°: Apollo 14, 4°: Apollo 15, 5°: Apollo 16, 6°: Apollo 17)

                    Após Ártemis 3 for lançada, a nave Orion levará dentre 3 a 4 dias para chegar na estação Gateway, dela vão ao módulo lunar acoplado a estação. Logo que se estabelecerem, iniciará a descida para alunissagem (aterrissagem na Lua).

Arte de uma missão lunar Ártemis. Crédito: NASA

 

       O local da 1° alunissagem será pelo polo sul, e a partir daí, mais ciência vai começar, indo para procura se água e seu uso para o programa, a investigações do mistérios da Lua e também da Terra e o universo até desenvolvimento de novas instalações para permanência na Lua, e isso será o preparativo para Marte. Seguindo isso em diante é fazer Se estabelecer na Lua até 2028, e assim explorando mais recursos na superfície e variados projetos de pesquisa subsequentes, e não só será a NASA e sim também seus parceiros e colaboradores do tratado Ártemis.

 

  • O Tratado Ártemis:

       Neste tratado a NASA indica as novas regras lançadas em junho de 2020 com seus parceiros para uma exploração pacífica da Lua, ou seja, garantir que não ocorra conflitos na superfície lunar e a exploração comercial da Lua seja adequada. Os acordos ainda não foram assinados, ressalta a necessidade de regiões de segurança, mas também na pesquisa compartilhada ente parceiros.

           Até então o tratado afirma a necessidade de parceria com EUA para exploração espacial da Lua, o que deixa outras potências contrariadas, como a China e Rússia, que alegam que o EUA quer manter certa hegemonia sobre o espaço. Mas em si, o tratado Ártemis não foi assinado ainda, porém os termos já discutidos pela NASA e seus parceiros é um enorme avanço para uma exploração espacial saudável. 

            Notamos que o programa Ártemis e com seu tratado em discussão, se forem compridos seus objetivos com sucesso, ou seja, estabelecimento na superfície lunar, o desenvolvimento de novas tecnologias, parcerias a fim de manter segurança, a perspectivas de novas descobertas sobre a Lua. Um palco novo par inúmeros projetos científicos seguintes e os preparativos para missões tripulada a Marte. 

       Certamente será uma incrível aventura para está década, além de estimular as novas gerações futuras e até mesmo ajudar alcançar a “Alvorada Gloriosa ” que Carl Sagan falava na série Cosmos: ” Uma alvorada mais gloriosa está por vir, mas não será um nascer de um Sol e sim de uma Galáxia! Um amanhecer de 400 bilhões de sóis, o nascer da Via Láctea!” Será somente a ciência usada da maneira correta que continuar nos levando sempre longe, e sempre nos fazendo bem, cada vez mais que chegamos mais perto do limiar do Cosmos, o Programa Arthemis de certeza será um grande passo.

 

Texto escrito por Enzo Maia, sócio da Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe.

 

Referências:

https://www.nasa.gov/what-is-artemis

https://www.nasa.gov/exploration/systems/sls/index.html

Revista Scientific American Brasil: https://sciam.uol.com.br/nasa-propoe-novas-regras-para-a-proxima-corrida-a-lua

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *