O projeto “Astronomia: O céu para os olhos e saberes do povo sergipano” foi visitar no dia 10 de agosto de 2016 o Colégio Estadual Professor Cesário Siqueira localizado no município de Propriá no interior do estado de Sergipe.

 

O projeto “Astronomia: O céu para os olhos e saberes do povo sergipano” foi visitar no dia 10 de agosto de 2016 o Colégio Estadual Professor Cesário Siqueira localizado no município de Propriá no interior do estado de Sergipe. A equipe da SEASE foi super bem recebida pelos professores, alunos e demais funcionários. O Diretor já havia organizado uma sala e um espaço para as nossa atividades. A presidente da Sociedade Hellen Chaves ministrou o curso com os softwares Mitaka e Stellarium para os alunos que eram do nível fundamental. Os alunos ficaram muito entusiasmados e participativos. Essa viagem em particular foi iniciativa do aluno Ruan Gustavo que estuda no Colégio Estadual Professor Cesário Siqueira, ele entrou em contato com a equipe da SEASE tirou suas dúvidas e informou ao seu diretor que gostou do projeto e marcou conosco a visita. Parabéns Ruan Gustavo pela iniciativa e obrigada por nos permitir trocar conhecimento com você e os demais alunos. Após o curso com os softwares passamos para a parte observacional que foi ministrada pela presidente Hellen Chaves, pela associada Jhullya Helary Ferreira Valões e pela Tesoureira Ívina, Alunos funcionários e pais de alunos participaram dessa etapa da nossa visita. Os telescópios utilizados foram o Maksutov de 90mm com montagem equatorial e o 150mm GoTo Star Discovery. Jhullya e Ívina foram as fotógrafas do evento.

Obrigada a todos do Colégio Estadual Professor Cesário Siqueira. Em especial ao aluno Ruan Gustavo e ao Diretor da escola, aos associados da SEASE presentes, aos amigos que foram nos auxiliar, a FAPITEC, a CCTECA e a PROTEGE.
Fotos by Jhullya e Ívina 13872780_525087241010521_7428705164207805644_n 13873025_525087111010534_6171909314440223827_n 13873250_525086471010598_2759337936594182095_n 13876223_525087831010462_652225248507419297_n 13876370_525087281010517_6775237291989146310_n 13876382_525086947677217_8676585003668738678_n 13876453_525087277677184_6461906086482067305_n 13876462_525087364343842_7568491963874374656_n 13879194_525087454343833_8918081781060979585_n 13879339_525086814343897_6239227129395438164_n 13880168_525087101010535_7970582011592350426_n 13880168_525087127677199_3377420566186711972_n 13880373_525086891010556_2148090236641879130_n 13882091_525086737677238_3249885781171656884_n 13882422_525087587677153_5076712937841199079_n 13892101_525087527677159_7116219756155115019_n 13892251_525086384343940_2047402941597695877_n 13895007_525086474343931_4851813328054321722_n 13895062_525087467677165_3495038213313874677_n 13895150_525087697677142_1339358080979069391_n 13895177_525086664343912_4334539311123387681_n 13895478_525086981010547_1152790619809614004_n 13895505_525086451010600_352108848285169253_n 13906621_525087361010509_1501790414188269851_n 13906621_525087714343807_1570347648530486188_n 13912567_525087631010482_6900405018665972331_n 13920748_525086387677273_5877856273397737894_n 13920816_525086614343917_2153105946712686175_n 13921151_525086734343905_6315055917141888087_n 13921209_525086511010594_4266854491734879796_n 13925027_525086907677221_1883078648257803089_n 13925244_525087534343825_6799704530899547170_n 13932843_525086967677215_5058120998089133954_n 13932910_525086754343903_2762327668528398602_n 13934594_525086617677250_1779961663947100462_n 13934708_525086381010607_4739058163938140949_n 13934746_525087341010511_3551971669142908963_n 13934989_525087717677140_2922845479849234340_n 13939294_525087494343829_2111333667970249151_n 13939609_525087634343815_7654137055871373258_n

O projeto “Astronomia: O céu para os olhos e saberes do povo sergipano” foi visitar no dia 05 de Agosto de 2016 o Colégio Estadual Dr. Antônio Garcia Filho no município de Umbaúba

 

O projeto “Astronomia: O céu para os olhos e saberes do povo sergipano” foi visitar no dia 05 de Agosto de 2016 o Colégio Estadual Dr. Antônio Garcia Filho no município de Umbauba. A equipe da SEASE foi super bem recebida pelos professores e alunos. A associada Dinorah Barbosa ministrou a oficina para professores aonde apresentou ferramentas em astronomia que podem ser aplicadas para o ensino das diversas áreas do conhecimento. Os associados Hellen Chaves, Luiz Henrique, Emerson M. Amaral e Jhullya Helary desenvolveram paralelamente a oficina para manuseamento dos telescópios com os alunos da escola. A associadaBárbara Castelões foi a fotógrafa desse evento. Todos os alunos professores e demais funcionários se mostraram atentos e interessados. Houve bastante interação o que tornou a nossa visita gratificante e divertida. Os planetas marte, júpiter e o nosso satélite natural a Lua fascinaram funcionários e alunos do colégio.
Obrigada a todos do Colégio Estadual Dr. Antônio Garcia Filho, em especial ao professor Eliankir, aos associados da SEASE presentes, aos amigos que foram nos auxiliar, a FAPITEC, a CCTECA e a PROTEGE.
Fotos by Bárbara Castelões

13900205_527684034084175_6923981241817592647_n 13907180_527684067417505_424452600405931628_n 13907180_527684150750830_7879518323028735582_n 13912657_527683917417520_375058690018628686_n 13920742_527684187417493_5162372451421604301_n 13920836_527684114084167_5416236995078834720_n 13924846_527683737417538_4819775485040864331_n 13932670_527684450750800_5095628078399070274_n 13932893_527683597417552_285430097501564213_n 13934636_527683544084224_3557293447492162186_n 13938456_527683727417539_296080781771899361_n 13938596_527683764084202_7368717774233902117_n 13938631_527683817417530_2349662316646508338_n 13962612_527684110750834_8895655466582963230_n 13962720_527683670750878_4533569152015020090_n 14021583_527683687417543_3649708352700739417_n 14021618_527684280750817_1874317176382940123_n 14021650_527684370750808_3855461127955272550_n 14022178_527683834084195_2173133977627056766_n 14022245_527683847417527_3403424577897870440_n 14022272_527683657417546_2064375409687604620_n 14022329_527684250750820_1865532864228390945_n 14034692_527683720750873_6764028175041340676_n 14034695_527684257417486_6001020390773019682_n 14034769_527683587417553_2396028394541668449_n 14034847_527683907417521_7968424207256397347_n 14040077_527684184084160_5092281265384941928_n 14040166_527684510750794_3041207168501415120_n 14045785_527683537417558_7865237200913135717_n 14045818_527683580750887_8750580760841429363_n 14045872_527684310750814_6328175740396756947_n 14045927_527684020750843_9189673607641777424_n 14051607_527683924084186_7434228422869153881_n 14063834_527684437417468_1443409941948228810_n 14064212_527684000750845_2811571104491144388_n 14067705_527684317417480_1317844670910275521_n 14068076_527684307417481_5698881811323534917_n 14079524_527683550750890_111644101636284533_n 14079976_527684210750824_5973582434615774748_n

O projeto “Astronomia: O céu para os olhos e saberes do povo sergipano” foi visitar no dia 01de Agosto de 2016 o Instituto Federal de Sergipe (IFS)-Campus de Lagarto.

 

A Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE), com o apoio da Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA – Galileu Galilei) e da Fundação de Apoio à Pesquisas e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (FAPITEC/SE), realizou-se atividades no Instituto Federal de Sergipe (IFS) – Campus de Lagarto, na Segunda-Feira (01) de Agosto.

As atividades deram-se em duas etapas: Minicurso de softwares astronômicos e de telescópios para os alunos, e observações com telescópios. A equipe de sócios na realização das atividades foi composta por Jaelsson Lima e Ana Carla.

Na primeira etapa por volta de 16h30 demos início as atividades. O sócio Jaelsson Lima fez uma introdução do software Stellarium e explicou algumas funcionalidades e conteúdos, logo após fez uma abordagem do software Mitaka, mostrando o universo em escala, desde o sistema solar, vizinhança solar e galáctica até os confins do Universo conhecido. No final foi feita uma introdução aos telescópios, mostrando diferentes tipos de ópticas e montagens, além de explorar algumas das simulações do conteúdo de Astronomia oferecido pela universidade de Nebraska-Lincoln (http://astro.unl.edu/) . Após o minicurso foi a vez de responder as perguntas do público.

Por último ficou reservado um tempo para à observação com telescópios, que deu início às 18h40 por conta da má condições climáticas inicialmente e encerramos as atividades por volta das 20h. Foram usado o telescópio Catadióptrico (Maksutov) de 90mm, com o suporte de diversas oculares (10mm, 15mm, 20mm e 25mm) e laser para apontar em alvos e explicar as características destes objetos celestes. Para quem teve o privilégio de observar, teve o privilégio de visualizar o Planeta Júpiter com alguns de seus Satélites naturais e o Planeta Saturno..

Nós que fazemos a SEASE somos gratos a todos do Instituto Federal de Sergipe (IFS) – Campus Lagarto e em Particular ao professor Douglas por ter proporcionado esta oportunidade, ficamos com uma expectativa de um dia retornar. Obrigado a todos.

Créditos de imagens: Ana Carla.

Texto: Jaelsson Lima.

AIMG_3014 BIMG_3057 IMG_3013 IMG_3015 IMG_3016 IMG_3017 IMG_3018 IMG_3019 IMG_3020 IMG_3041 IMG_3042 IMG_3043 IMG_3044 IMG_3045 IMG_3046 IMG_3047 IMG_3048 IMG_3049 IMG_3054 IMG_3055 IMG_3056 IMG_3058 BIMG_3057 IMG_3021 IMG_3022 IMG_3024 IMG_3025 IMG_3026 IMG_3027 IMG_3028 IMG_3029 IMG_3030 IMG_3031 IMG_3032 IMG_3033 IMG_3034 IMG_3035 IMG_3036 IMG_3037 IMG_3038 IMG_3039 IMG_3040 IMG_3023

O projeto “Astronomia: O céu para os olhos e saberes do povo sergipano” foi visitar no dia 16 de Junho de 2016 o Colégio Estadual Senador Lourival Batista em Simão Dias.

 

A Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE), com o apoio da Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA – Galileu Galilei) e da Fundação de Apoio à Pesquisas e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (FAPITEC/SE), realizou-se atividades no Colégio Estadual Senador Lourival Batista no Pov. Triunfo em Simão Dias/SE, na Quinta (16) de Junho.

As atividades se deram em três etapas: Minicurso de Astronomia para os professores, minicurso de softwares astronômicos para os alunos e amostras de telescópios (Observações com telescópios). A equipe de sócios na realização das atividades foi composta por Dinorah Barbosa, Victor Cruz, Ricardo André e Jaelsson Lima.

Na primeira etapa por volta da 16h iniciou-se à apresentação do Minicurso de Astronomia para os professores sob a apresentação do sócio Jaelsson Lima e complementado pelos os outros sócios presentes, esse com a finalidade de apresentar conteúdos de astronomia que pode ser explorados pelos os professores em diversas áreas do conhecimento (História, física, Matemática, Artes, química, etc.). Os professores demonstravam interesse na apresentação e fizeram alguns questionamentos e comentários sobre temas diversos, como o conhecimento popular na Astronomia.

Em seguida foi a vez do minicurso direcionado aos alunos. A sócia Dinorah Barbosa fez uma pequena introdução do software Stellarium para os alunos e em seguida o sócio Victor Cruz falou sobre o software Mitaka e por meio do programa, fez uma viagem partindo do sistema Solar até chegar aos limites do universo observável. Durante o minicurso, os alunos perguntaram algumas informações sobre o sistema solar, mais especificamente sobre características dos planetas.

Por último ficou reservado um tempo para à amostra com telescópios, a principio seria uma observação com telescópios, porém as condições climáticas ruins para a mesma não permitiram.  Os sócios então montaram um dos dois telescópios e um binóculo que foi apontaram-no para uma bandeira que estava pendurada na parede da Escola e deram diversas explicações a respeito de telescópios e suas ópticas. Os alunos e professores fizeram a observação do objeto pelo telescópio. Os professores fizeram diversos questionamentos acerca das especificações do telescópio, enquanto os alunos apenas observaram. O fim das atividades se deu por volta das 18h30.

Nós que fazemos a SEASE somos gratos a todos do Colégio Estadual Senador Lourival Batista, aos alunos e professores, em especial ao prof. e amigo Douglas por ter nos proporcionado muitas emoções e nos recepcionado de forma maravilhosa, ficamos com uma expectativa de um dia retomar. Obrigado a todos.

Créditos de imagens: Ricardo André.

Texto: Jaelsson S. Lima e Dinorah Barbosa.

1-1-48 1-16 1-27 1-z 2 3 4 5 6 7 8 9 11 12 13 14 15 17 18 19 20 21 22 24 25 26 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47

O projeto “Astronomia: O céu para os olhos e saberes do povo sergipano” foi visitar no dia 18 de maio de 2016 o Colégio Estadual Abdias Bezerra.

 

O projeto “Astronomia: O céu para os olhos e saberes do povo sergipano” foi visitar no dia 18 de maio de 2016 o Colégio Estadual Abdias Bezerra. A equipe da SEASE foi super bem recebida pelos professores e alunos. Nos dividimos em 3 grupos fazendo diferentes atividades simultaneamente. A associada Ívina ministrou o minicurso para professores demonstrando a multidisciplinaridade da astronomia e fornecendo várias feramentas astronômicas que podem ser utilizadas para o ensino das diferentes disciplinas do ensino básico. As associadas Jhullya e Ana Carla juntamente com aluno de Física da UFS André ministraram o minicurso de manipulação de telescópios para os alunos. O colaborador e Físico Victor ministrou o minicurso de softwares astronômicos, utilizados na astronomia profissional e amadora, para alunos e professores. A Física Médica Débora foi a Fotógrafa deste evento. Tanto os professores quanto os alunos se mostraram atentos e interessados. Houve bastante interação o que tornou a nossa visita gratificante e divertida. Os planetas marte, júpiter e o nosso satélite natural a Lua fascinaram funcionários e alunos do colégio.
Obrigada a todos do Colégio Estadual Abdias Bezerra, aos associados da SEASE presentes, aos amigos que foram nos auxiliar, a FAPITEC, a CCTECA e a PROTEGE.
Fotos by Débora Siqueira

Sease_em_Riberópolis_1 Sease_em_Riberópolis_2 Sease_em_Riberópolis_3 Sease_em_Riberópolis_4 Sease_em_Riberópolis_5 Sease_em_Riberópolis_6 Sease_em_Riberópolis_8 Sease_em_Riberópolis_9 Sease_em_Riberópolis_10 Sease_em_Riberópolis_11 Sease_em_Riberópolis_12 Sease_em_Riberópolis_13 Sease_em_Riberópolis_14 Sease_em_Riberópolis_15 Sease_em_Riberópolis_16 Sease_em_Riberópolis_17 Sease_em_Riberópolis_18 Sease_em_Riberópolis_19 Sease_em_Riberópolis_20 Sease_em_Riberópolis_21 Sease_em_Riberópolis_22 Sease_em_Riberópolis_23 Sease_em_Riberópolis_24 Sease_em_Riberópolis_25 Sease_em_Riberópolis_26 Sease_em_Riberópolis_27 Sease_em_Riberópolis_28 Sease_em_Riberópolis_29 Sease_em_Riberópolis_30 Sease_em_Riberópolis_31 Sease_em_Riberópolis_32 Sease_em_Riberópolis_33 Sease_em_Riberópolis_34 Sease_em_Riberópolis_35 Sease_em_Riberópolis_36 Sease_em_Riberópolis_37 Sease_em_Riberópolis_38 Sease_em_Riberópolis_39 Sease_em_Riberópolis_40 Sease_em_Riberópolis_43 Sease_em_Riberópolis_44 Sease_em_Riberópolis_45 Sease_em_Riberópolis_46 Sease_em_Riberópolis_47 Sease_em_Riberópolis_48

RELATÓRIO DA SEMANA DA MULHER – III OLHAR DE MINERVA – 2016

 

RELATÓRIO DA SEMANA DA MULHER DE 2016

 III OLHAR DE MINERVA

(A importância das mulheres na ciência)

 

A terceira edição do Olhar de Minerva foi realizada em Aracaju/SE, nos dias 04 de Março a 06  de Março de 2016. Todas as atividades desse evento ocorreram  nas dependências da Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju – Galileu Galilei (CCTECA – Galileu Galilei). O evento contou com a participação de estudantes e entusiastas da Astronomia e das Ciências de modo geral.

iii olhar de minerva

Figura 1: Cartaz de divulgação do evento, elaborado pelo setor da comunicação da SEASE.

O Evento visa homenagear mulheres de diversas áreas do conhecimento, para tanto são realizadas palestras cujas palestrantes são cientistas, pesquisadoras normalmente das instituições de ensino superior ou são profissionais de grandes empresas sergipanas.

O evento teve sua 1ª edição em 2014 e contou com  sete palestras que ocorreram nas noites do dias 8 à 14 de Março do mesmo ano. Cada palestrante homenageou suas colegas de profissão e também descreveu um pouco da sua própria contribuição na ciência. Nos dois primeiros anos, o lema foi “Olhar de Minerva: O Papel da Mulher Brasileira na Produção Científica.

Sua segunda edição aconteceu em 2015, contou com a participação de uma engenheira, uma física e uma socióloga. Nessa edição, elas contaram sobre a participação da mulher na ciência ao longo da historia e priorizaram contar sobre a atuação das mulheres em áreas da engenharia e das ciências exatas.

Em 2016, a terceira edição ocorreu nos dias 4, 5 e 6 de Março. O lema deste ano foi “A importância das mulheres na ciência”.  O evento contou com a realização de três palestras e inovou realizando, em uma tarde, observação solar, a exibição, em uma noite, de um filme. Outra novidade é que agora as palestrantes apresentaram  um tema de sua escolha e mostraram suas contribuições e não abordaram apenas a importância da mulher na sua área de estudo de modo geral, como era nas edições anteriores. Ainda outra novidade foi que no segundo dia do evento, dia 5 de Março, o evento foi duplo, ocorreu junto com mais uma edição do “CaféConsciência”, projeto este realizado e executado mensalmente pela CCTECA com o objetivo de debater com pesquisadores, cientistas, convidados e a comunidade em geral temas de importância para a sociedade, objetivando a aquisição de informações atualizadas e à formação de opinião crítica sobre os assuntos debatidos. Essa edição especial foi parte também do “III Olhar de Minerva”.

O evento III Olhar de Minerva foi realizado pela Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE) por meio de sua presidente Hellen Larissa Nascimento Chaves e demais membros da diretoria e sócios, pela Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA – Galileu Galilei) representada por seu diretor Augusto Cesar Silva Almeida, tendo o apoio do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS) – Campus Aracaju – representado pela Professora Drª. Elza Ferreira Santos e da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (FAPITEC/SE). Logomarcas das instituições organizadoras e apoiadoras, abaixo:

novo-logo-peq-2

Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE)

ccteca -lay out para blog

 Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA – Galileu Galilei)

20141201145619_547cabc3c6904

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS)

marca1

Fundação de Apoio à Pesquisas e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (FAPITEC/SE)

A abertura se deu por volta das 19h do dia 4 de Março. Autoridades ligadas à organização e realização do evento compuseram a cerimônia de abertura: A presidente da SEASE Hellen Chaves, o vice-presidente Jaelsson Lima, o coordenador da CCTECA Augusto Cesar e representando o IFS a Drª Elza Ferreira, a qual também foi quem nos concedeu a palestra de abertura. A presidente deu como iniciado o evento falando sobre o histórico do “Olhar de Minerva”, e de sua importância, sobre a programação e construção do próprio “III Olhar de minerva”, além de fazer um apanhado breve da SEASE e de sua história.  Augusto falou um pouco sobre o funcionamento da CCTECA e projetos e atividades que a mesma realiza, além de fazer a apresentação da palestrante.

A palestra de abertura, iniciou-se às 19h18, foi proferida pela profª Drª  Elza Ferreira (IFS/SE) com o tema “Astronomia sob os céus de Sergipe: mulheres promovendo ciência e tecnologia para todos”.

IMG_1247 Figura 2: O prof. Augusto Cesar coordenador da CCTECA ao lado de Hellen Chaves Presidente da SEASE, durante os pronunciamentos da cerimônia de abertura do III Olhar de Minerva.

Nesta palestra foi feito um apanhado sobre o projeto – Astronomia popular sob os céus de Sergipe – coordenado pela professora Elza, patrocinado pela FAPITEC. Esse projeto foi fruto de um edital a que concorreu a SEASE, e que envolveu praticamente todos os membros da Sociedade.   No início à abordagem foi sobre as primeiras cientistas da história, a exemplo de Hypátia (de Alexandria), e suas dificuldades e, exercer tais atividades perante a sociedade. Foi destacado, a fim de mostrar o silenciamento da história para com as mulheres cientistas, o número de recebedores do prêmio Nobel de 1901 até 2013: apenas 16 mulheres tinham sido agraciadas em um total de 540 prêmios concedidos na área de ciências (Física, Química, Medicina ou Filosofia). Outro ponto destacado foi sobre a Astronomia no Brasil. A pioneira foi Yedda Ferraz Pereira. Hoje o País se classifica entre os primeiros com percentual acima de 20% de participação feminina. Entre estas os nomes mais brilhantes são os de: Duília de Mello (NASA), Rosaly Lopes (NASA), Daniela Lazzaro (ON e IAU) e Thaysa Storchi-Bergman (UFRGS). Por último falou da SEASE no que diz respeito à participação feminina. Atualmente,  sua diretoria é composta, de uma presidente “Hellen Larissa”, uma tesoureira “Ívina Mittarraquis”,  uma secretária  “Dinorah Barbosa”, um vice-presidente “Jaelsson Lima” e de um secretário de comunicação “Silvio Willian”. Ou seja, é uma sociedade em que a presença feminina não está apenas na mera participação mas no exercício da administração. Destacou que é nesta gestão que aconteceu a execução do projeto Astronomia Popular sob os Céus de Sergipe, lembrou ainda que desde a fundação até os 5 primeiros anos a participação de mulheres na Sociedade (SEASE) era pequena. Mas em 2011, entrou Ívina (Física), em 2013 entraram Tayssa (Química), Dinorah (Física), Shyenne (Engenharia Elétrica) e Thaynara (Ensino Médio), as quais contribuíram com uma reforma estrutural com a atualização do estatuto e do regimento.  A SEASE se fortaleceu e surgiu a ideia de concorrerem a editais de fomento à pesquisa, criaram-se o Olhar de Minerva e o Luau Astronômico. No início de 2014, entrou Hellen (Ensino Médio), com a articulação das mulheres e com o aval de membros mais antigos Hellen se torna a presidente da SEASE. O sonho mais alto conquistado sob liderança destas jovens mulheres foi de conseguir trazer Rosaly Lopes da NASA para palestrar no Encontro de Astronomia do Nordeste, evento este organizado pela SEASE. CCTECA, IFS e UFS, em 2015.

IMG_1258 Figura 3: Apresentação da palestra de abertura com a palestrante Profª. Drª Elza Ferreira, no III Olhar de Minerva.

IMG_1277 Figura 4: Apresentação da palestra de abertura com a palestrante Profª. Drª Elza Ferreira, no III Olhar de Minerva.

Em seguida, às 19h52, deu inicio a segunda e última palestra da noite com a Profª. Me. Nara Strappa Facchinetti Doria (IFS/SE), intitulada de “Como não matar a engenheira que existe dentro de nós”. E assim encerrando-se as atividades do dia.

 A palestrante falou um pouco de sua vida e sua caminhada acadêmica. Sua formação é Engenharia de Computação e é mestra em Engenharia Elétrica, mas o caminho até esse ponto não foi nada fácil. Desde pequena queria ser engenheira Mecânica, já que se identificava mais com brinquedos considerados “masculinos” a pontos de desmontá-los e montá-los. Durante sua vida estudantil gostava muito de matemática e chegando a hora do vestibular a vontade de querer fazer engenharia foi “desencorajada” pela família, pois tinham o pensamento de que  engenharia não era para mulher, aí optou em querer fazer matemática, mas acabou desistindo por ser desencorajada novamente, agora pelo motivo “e depois disso o que você vai fazer? Ser professora?”, acabou prestando vestibular para à área de medicina, mas acabou ficando excedente. Um ano depois decidida resolveu prestar vestibular para Engenharia Mecânica na Universidade Federal da Bahia (UFBA) e também para Ciências Contábeis na Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) por envolver matemática e ser próximo de sua residência, no último dia de se inscrever sua irmã tinha avisado do surgimento do curso Engenharia de Computação, mas a mesma na hora não deu importância. Acabou aprovada nos dois cursos e escolheu Engenharia Mecânica na UFBA. Chegando no primeiro dia de aula o professor da turma que era também coordenador do curso e chefe do departamento de modo indireto deixou claro que o curso era extremamente masculino, na turma havia apenas duas mulheres e uma era ela. Com o passar do tempo acabou não se identificando com o curso e nem com o professor, desestimulada acabou desistindo. Acabou se escrevendo para a Engenharia de Computação na UEFS e aprovada, no inicio das aulas percebeu que era a única mulher da turma. Durante o curso, sofreu preconceitos e piadas. Ouviu diversas frases depreciativas do tipo “mulher não consegue se formar em engenharia”, até que o coordenador do curso presenciou alguns atos e aí a apoiou e deu exemplos de mulheres de sucesso na engenharia.  Apesar de algumas piadas, formou-se e depois fez o mestrado em Engenharia Elétrica na Universidade Federal de Sergipe (UFS), nesta Universidade não houve problemas com relação a preconceitos, apenas um fato curioso chamava atenção, o banheiro feminino do departamento era utilizado para depósitos e ela precisava ir a outros departamentos quando necessitava, talvez pelo fato de ser rara a presença de mulher no curso.  Hoje ela atua como professora no Instituto Federal de Sergipe (IFS). E assim foi finalizada a palestra e as atividades da referida noite.

IMG_1307 Figura 5: Uma das imagens com  a Profª. Me. Nara Strappa Facchinetti Doria  (IFS/SE), durante a apresentação de sua palestra intitulada de “Como não matar a engenheira que existe dentro de nós” no III Olhar de Minerva.

IMG_1305 Figura 6: Uma das imagens com  a Profª. Me. Nara Strappa Facchinetti Doria  (IFS/SE), durante a apresentação de sua palestra intitulada de “Como não matar a engenheira que existe dentro de nós” no III Olhar de Minerva.

Neste dia tivemos a ilustre presença da TV Atalaia, afiliada da Rede Record de televisão.

IMG_1251 Figura 7: Uma das imagens com a TV atalaia entrevistando a presidente da SEASE Hellen Chaves, durante o primeiro dia do III Olhar de Minerva.

IMG_1267 Figura 8: Uma das imagens com  a TV atalaia entrevistando uma pessoa do público durante o primeiro dia do III Olhar de Minerva.

IMG_1301 Figura 9: Uma das imagens com  a TV atalaia fazendo a repostagem do evento no dia do III Olhar de Minerva.

No segundo dia, 05 de Março de 2016, o evento foi duplo, ocorreu junto com mais uma edição do “CaféConsciência”, às 19h13 deu início a palestra com a Drª. Susana de Souza Lalic (DFI/UFS), intitulada de “Energia nuclear: O bom, o mal e o belo”.

A abordagem inicial foi sobre a demanda de energia mundial, a qual atualmente 80% da energia do mundo vem de combustíveis fósseis. Isso tem provocado problemas ambientais, além da provável diminuição das reservas de combustível. Outro ponto debatido foi a questão da produção de energia elétrica, cujas principais produtoras no mundo se origina das Usinas Hidroelétricas, Termoelétrica e Nucleares. Esta última advinda de reações químicas e assim liberando energia através do processo chamado de “fissão nuclear” que consiste na quebra de núcleos atômicos instáveis em núcleos menores, para isto acontecer um enriquecimento de Urânio-235 em até 3% (enriquecimento controlado), lembrando que o enriquecimento a 90% seria o de uma bomba nuclear. Um dos problemas das usinas baseadas em fissão nuclear é onde depositar os rejeitos radioativos (lixo nuclear).

Em toda historia das usinas nucleares aconteceram três acidentes graves: o de “Three Mile Island” (Pensilvânia nos EUA em 1979) houve um vazamento de radioatividade para a atmosfera devido a problemas mecânico e elétrico, o acidente foi causado por erros humanos  de decisões erradas tomadas por pessoas sem preparo. Nesse acidente, não houve registro de morte direta; “Chernobil” (Ucrânia, em 1970) houve falha em um reator e liberou uma nuvem radioativa contaminando pessoas, animais e o meio ambiente de uma vasta extensão de terras, até 2004 tinham morrido 49 pessoas em decorrência do acidente; o de “Fukushima ” (Japão, em 2011) houve vazamento radioativo, em consequência de um terremoto de escala 8.9 e de um forte tsunami que atingiu a região.

Em seguida, foi a vez de explorar a demanda de energia no Brasil. Cerca 94% provêm de geração das Hidroelétricas (causando grande impactos ambientais na sua construção) e 5% de energia eólica e 1% o restante. Uma observação da palestrante é que não existem reatores nucleares apenas em Usinas, existem “reatores nucleares civis” e “reatores de pesquisas” em centro de pesquisas entre os quais nas Universidades, no Brasil, por exemplo, há um na (USP). Por último, a palestrante defendeu o uso de energia nuclear, para ela pelo custo beneficio ainda vale a pena investir neste tipo de tecnologia, já que os riscos são baixíssimos.

IMG_1362 Figura 10: Palestra com a Drª. Susana de Souza Lalic (DFI/UFS), intitulada de “Energia nuclear: O bom, o mal e o belo”, no III Olhar de Minerva.

IMG_1341 Figura 11: Palestra com a Drª. Susana de Souza Lalic (DFI/UFS), intitulada de “Energia nuclear: O bom, o mal e o belo”, no III Olhar de Minerva.

Em seguida houve uma pausa para as perguntas e coffee break. Depois o retorno para a segunda parte da palestra na fase das perguntas e, assim, finalizaram-se as atividades deste dia.

IMG_1411 Figura 12. Foto do coffee break. após a pausa da  primeira parte da palestras com a Drª. Susana de Souza Lalic (DFI/UFS), intitulada de “Energia nuclear: O bom, o mal e o belo”, no III Olhar de Minerva.

IMG_1414 Figura 13: Segunda parte da palestra, fase das perguntas, com a Drª. Susana de Souza Lalic (DFI/UFS), intitulada de “Energia nuclear: O bom, o mal e o belo”, no III Olhar de Minerva.

No terceiro e último dia de evento, 06 de Março, por volta das 15h45, iniciaram-se as atividades do dia com uma observação do Sol com telescópio, sob orientação de Jaelsson Silva Lima sócio e vice-presidente da SEASE e do sócio João Victor.

Foi utilizado para esta observação solar um telescópio refletor (de montagem Dobsoniana) de 180mm com um filtro solar apropriado para observar o Sol. Além disso, foram dadas explicações diversas sobre o Sol. Uma dica importante passada ao público foi a orientação de nunca olhar diretamente para Sol sem algum tipo de proteção adequada, sob o risco de ter a visão afetada permanentemente. Além de explicar suas propriedades físicas, a exemplo de manchas solar e erupções solar, etc.

observação solar-iii olhar de minerva Figura 14: Observação do Sol com telescópio, sob orientação de Jaelsson Silva Lima sócio e vice-presidente da SEASE e do sócio João Victor, durante o III Olhar de Minerva.

Após uma pausa, atividades retonaram, às 18h, para a última atividade do dia e do evento, que foi a exibição do filme “A fonte das mulheres”. Após o filme, ocorreu um pequeno debate sobre o mesmo.

O filme a Fonte das Mulheres de 2012, dirigido pelo francês Radu Mihaileanu, conta a saga de mulheres que resolvem lutar contra a hierarquia em sua aldeia que só beneficiava os homens e maltratava as mulheres. Para isso, uma estrangeira organizará um motim ente as mulheres desestabilizando as relações familiares, questionando os ditames da religião e a negligência do Estado.

O filme se passa em uma aldeia norte-africana, que sofre com a seca, sem água encanada, energia elétrica e de condições econômicas precárias – ela era sustentada, principalmente, por doações dos turistas –; Enquanto que os desocupados varões e patriarcas da aldeia passam o tempo, se divertindo, fumando, jogando conversa fora e bebendo chá, as mulheres têm de transportar água nos ombros por escorregadios caminhos de difícil acesso de um local distante no topo do monte até suas casas. Não importando se estão grávidas ou com cólicas menstruais (indispostas). É justamente para defender as gestantes – que por vezes se acidentam, causando abortos em metade da prole das famílias – que a jovem estrangeira Leila, sempre apoiada pela intrépida viúva e curandeira, apelidada de velha fuzil, propõe uma medida revolucionária de sensibilização dos maridos – do estrato social dominante: os homens – de modo que resolvam o problema do transporte de água: a greve de sexo.

Trazer água encanada para a aldeia mostrou que as mulheres unidas possuem força, mostra que unidas podem obter conhecimento e por meio de conhecimento podem questionar, conversar, fazer a sua própria história. Para o evento, o filme maca como a necessidade de repensar os paradigmas patriarcalistas que impõem dificuldades às mulheres quanto ao exercício do trabalho, por exemplo. O filme mostra que só o conhecimento, os estudos, a leitura podem fornecer subsídios para enfrentar uma tradição autoritária até mesmo para exigir que o Estado cumprisse suas obrigações.

IMG_1424 Figura 15: Finalizando a última atividade do evento foi exibido o filme “a fonte das mulheres”, no III Olhar de Minerva.

IMG_1427 Figura 16: Debate sobre o filme “a fonte das mulheres” logo após a sua  exibição no III Olhar de Minerva.

Após o final do pequeno debate, houve o pronunciamento de encerramento do evento. Os representantes presentes das instituições participantes foram Jaelsson S. Lima vice-presidente da SEASE e Augusto Cesar S. Almeida Coordenador da CCTECA e sócio fundador da SEASE e a Drª. Elza Ferreira Santos (Professora do IFS – Campus Aracaju) e sócia colaboradora da SEASE. Esta fez uma breve explanação do filme e Jaelsson agradeceu  a todos os presentes e àqueles que estiveram na organização do evento desde o início e, assim, o mesmo declarou de forma oficial o encerramento de todas as atividades relacionadas e, por conseguinte, o III Olhar de Minerva.

Agradecimentos: Nossos profundos agradecimentos a todos aqueles que de forma direta ou indireta contribuíram para a realização do III O Olhar de minerva e em especial: a Drª Elza Ferreira e a Ívina Mittaraquis pelo seu envolvimento, desde elaboração do evento até o último dia de sua execução, a Hellen Chaves que também esteve envolvida no processo de elaboração do evento, a Jaelsson Lima que também foi participativo, a Willian Caires Secretário da comunicação da SEASE, por ter elaborado o cartaz do evento,  ao Prof. Augusto Cesar pela contribuição maior na organização do evento no segundo dia a alguns sócios que ajudaram de monitoria no dia do evento (Thaynara Santos, Ivo Matias, João Victor, Marcos Vinicius, Luiz Henrique, Liliane Martins, Tayssa Barreto, Italo Mello, Lucas Soares, Wolney Criscuolo e Luíz Felipe) e a todos os palestrantes que aceitaram o nosso convite.

ANEXOS:

Na realização III Olhar de Minerva, fizeram parte da Comissão organizadora: Hellen Larissa S. N. Chaves (Presidente da SEASE), Jaelsson S. Lima (Vice-Presidente da SEASE), Dinorah Barbosa da F. Teixeira (Secretária Geral da SEASE), Ívina Siqueira Perrucho Mittaraquis (Tesoureira da SEASE), Silvio Willian Caires Batista (Secretário de comunicação da SEASE), Augusto Cesar S. Almeida (coordenador da CCTECA e sócio da SEASE), Elza Ferreira Santos (Professora do IFS – Campus Aracaju e sócia colaboradora da SEASE).

Resumo do III Olhar de Minerva em números:

83 participantes (39 homens e 44 mulheres)

3 palestrantes (0 homens e 3 mulheres),

 3 palestras,

Comissão organizadora: 7 componentes ( 3 homens e 4 mulheres),

 

Outras informações relacionadas:

Nosso site: http://sease.org.br/

Nossa página do Facebook: https://www.facebook.com/sease.astronomia

Fotos do evento:

1º dia: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.469920586527187.1073741857.143131675872748&type=3,

2º dia: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.470231116496134.1073741858.143131675872748&type=3 ,

3º dia: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.470495126469733.1073741859.143131675872748&type=3

Nosso canal oficial no Youtube: https://www.youtube.com/c/SeaseAstronomia

Nossa página no Twitter: https://twitter.com/sease_astro

Relatório na Versão PDF: Relatório do III Olhar de Minerva_oficial_final

 

São Cristóvão, 24 de Abril de 2016.

 

Revisores do texto: Profª. Drª. Elza Ferreira

Texto: Jaelsson S. Lima e Elza F. Santos

SOBRE AS OBSERVAÇÕES DOS DIAS 18 E 19 DE MARÇO DE 2016

 

SOBRE AS OBSERVAÇÕES DOS DIAS 18 E 19 DE MARÇO DE 2016

A Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE), juntamente com a Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA – Galileu Galilei) e apoiada da Fundação de Apoio à Pesquisas e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (FAPITEC/SE), realizaram  observações com telescópios abertas ao público na área externa da CCTECA nesta Sexta (18) e Sábado (19) de Março.

Nas observações foram usados – o telescópio Catadióptrico (Maksutov) de 90mm, e um Refletor (Dobsoniano) de 180mm, além de um computador e projetor, diversas oculares (9mm, 10mm, 15mm, 25mm e 32mm) e laser para apontar e explicar melhor os objetos no céu, onde foram observados as crateras da Lua, o Planeta Júpiter e com sua 4 principais luas (Luas de Galileu): Io, Gamimedes, Calisto e Europa.

A recém-sócia Liliane deixou seu relato “as observações foram incríveis, bastante produtivas, público grande e pessoas bastante curiosas. Um senhor ficou muito emocionado em avistar as crateras da Lua pela primeira vez, além de ficar maravilhado com o Planeta Júpiter e suas luas. Outro destaque foi à atenção do público na projeção e apresentação de softwares astronômicos”.

Nas apresentações foi introduzido vários assuntos da astronomia com o auxilio de um projetor e computador nas apresentações de softwares astronômicos como: STELLARIUM e MITAKA, como informações sobre o planeta Júpiter, sobre a Lua,  sobre constelações antigas e classificação atual, sistemas próximos a terra, sistema local de estrelas, distâncias planetárias, ciclo de vida estelar, cosmologia, entre outros.

Essas observações são rotineiras oferecidas pela SEASE (são em média 4 observações abertas ao público por mês, sempre em períodos de Lua Crescente e Cheia), cujo objetivo é atender ao público e passar de modo geral um pouco de conhecimento e informação sobre Astronomia na qual é uma ciência pouco divulgada.

Nós que fazemos a SEASE somos gratos à todo o público que participou e ter nos proporcionado muitas emoções, contamos com a presença de vocês em outras oportunidades, pois acreditamos que somos capazes de contribuir e mudar a realidade da ciência no nosso estado e para que este sonho seja cada vez mais possível contamos sempre com as colaborações de vocês, seja participando de nossos eventos, compartilhando-os nas redes sociais ou nos ajudando de alguma forma. Até breve!

Créditos de imagens: Liliane Martins, Thaynara Santos e Jaelsson Lima

Texto: Jaelsson Lima e Liliane Martins

IMG_1430 IMG_1430- IMG_1431 IMG_1432 IMG_1433 IMG_1434 IMG_1435 IMG_1436 IMG_1437 IMG_1438 IMG_1439 IMG_1440 IMG_1450 IMG_1454 IMG_1456 IMG_1458 IMG_1460 IMG_1462 IMG_1464 IMG_1465 IMG_1472 IMG_1474 IMG_1476 IMG_1477 IMG_1479 IMG_1484 IMG_1486 IMG_1501 IMG_1502 IMG_1504 IMG_1515 IMG_1516 IMG_1519 IMG_1520 IMG_1523 zzz

SOBRE AS OBSERVAÇÕES DOS DIAS 19 E 20 DE FEVEREIRO DE 2016

 

SOBRE AS OBSERVAÇÕES DOS DIAS 19 E 20 DE FEVEREIRO DE 2016

A Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE), juntamente com a Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA – Galileu Galilei) e apoiada da Fundação de Apoio à Pesquisas e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (FAPITEC/SE), realizaram observações com telescópios abertas ao público na área externa da CCTECA nesta Sexta (19) e Sábado (20) de Fevereiro.

Nas observações foram usados – o telescópio, Dobsoniano de 180mm e um binóculo e diversas oculares (9mm, 10mm, 15mm, 25mm e 32mm) e laser para apontar e explicar melhor os objetos no céu. Foram observados as crateras da Lua, as Plêiades (M45), que é um aglomerado estrelar aberto de estrelas jovens na “constelação de Touro”, o mesmo é popularmente conhecido como “sete estrelas”. O aglomerado é dominado por estrelas que se formaram nos últimos 100 milhões de anos. Há uma nebulosa de reflexão formada por poeira em torno das estrelas mais brilhantes, mas que não existe uma relação direta entre elas. No final das observações foi a vez de acompanhar o maior planeta do sistema solar, Júpiter e suas 4 principais luas (Luas de Galileu): Io, Gamimedes, Calisto e Europa.

Com o auxílio de um computador e projetor, fizemos apresentações do software astronômico – STELLARIUM e MITAKA, introduzindo diversos assuntos da astronomia, a exemplo da Radiação Cósmica de Fundo e o Universo em escala.

Essas observações são rotineiras realizadas pela SEASE (são em média 4 observações abertas ao público por mês, sempre em períodos de Lua Crescente e Cheia), cujo objetivo é atender ao público e passar de modo geral um pouco de conhecimento e informação sobre Astronomia na qual é uma ciência pouco divulgada. No Sábado (20) um fato emocionante, comovente e que chamou atenção foi o choro emocionado de um senhor por ter observado o planeta Júpiter com um telescópio pela primeira vez.

Apesar de um público pequeno, nós que fazemos a SEASE somos gratos a todo o público que participou e ter nos proporcionado muitas emoções, contamos com a presença de vocês em outras oportunidades, pois acreditamos que somos capazes de contribuir e mudar a realidade da ciência no nosso estado e para que este sonho seja cada vez mais possível contamos sempre com as colaborações de vocês, seja participando de nossos eventos, compartilhando-os nas redes sociais ou nos ajudando de alguma forma. Ver-nos-emos nas próximas atividades, estão todos convidados!

Fontes:https://pt.wikipedia.org/wiki/Plêiades, https://pt.wikipedia.org/wiki/Sat%C3%A9lites_de_J%C3%BApiter

Créditos de imagens: Liliane Martins

Texto: Jaelsson Lima e Liliane Martins

índic índic- índice- índice-- índice1 índice4 índice5 índice6 índice7 índice8

.