Relatório do Asteroid Day – Aracaju/SE

 

RELATÓRIO DO ASTEROID DAY 

 

SOCIEDADE DE ESTUDOS ASTRONÔMICOS DE SERGIPE  

SÓCIOS PARTICIPANTES: TAYSSA BARRETO,  LILIANE MARTINS, AUGUSTO ALMEIDA, THAYNARA SANTOS, IVO CAMPOS, ISRAEL SANTOS, WAGNER ARAÚJO, EDEN SIMÕES, SÁVIO MOREIRA .   

RELATORA: THAYNARA SANTOS NASCIMENTO.  

ARACAJU/SE, 04 DE JULHO DE 2017.

 

 

O QUE É O ASTEROID DAY? 

O Dia do Asteroide, declarado pela ONU em 2016, é um dia de conscientização global que divulga e alerta a população para o perigo da queda de asteroides no planeta Terra. O último Dia do Asteroide aconteceu numa sexta-feira, 30 de Junho de 2017, que no Brasil é realizado através do apoio do GaeA – Grupo de Apoio em Eventos Astronômicos.  

Fontes: http://press.exoss.org/asteroid-day-2017-brasil-tem-o-maior-numero-de-eventos-em-todo-o-mundo/

https://www.facebook.com/gaea.astronomia

 

 

ASTEROID DAY REALIZADO PELA SEASE

Devido à greve do 30 de Junho de 2017, realizamos o evento relativo a essa data, no dia 01 de Julho de 2017, no sábado. Contamos com a presença de cerca de 30 pessoas. O evento contou com uma palestra do Prof. Augusto Cesar Silva Almeida – diretor do Planetário da CCTECA Galileu Galilei, de tema “Asteroides: do conceito à ameaça real ao planeta Terra”, que explicou a formação do nosso sistema solar; posições dos corpos celestes; os conceitos de cometas,  meteoroides, meteoros e meteoritos; as quedas de meteoritos, cometas e asteroides mais famosos que tivemos na Terra; a ameaça desses corpos ao nosso planeta; a importância do Asteroid Day para a sociedade; informou sobre os grupos que fazem trabalhos de monitoramento dos céus e de asteroides; mostrou como podemos observar um asteroide; e por fim, apresentou o trabalho que SEASE fez, ao observar e registrar o asteroide Vesta (Link do relatório dessa observação:http://sease.org.br/asteroidevesta3170-2/). Em seguida, tivemos coffee break, logo depois um debate sobre a importância de discutirmos o tema. 

 

IMPORTÂNCIA DO EVENTO PARA A SEASE  

Esse evento é de grande importância mundial, pois é algo real, que necessita de estudos e conhecimento para assegurar, até mesmo, nossa sobrevivência no planeta. E tomando consciência disso, a SEASE  participou para mostrar a população local, a necessidade de aprender mais sobre o tema, entender sobre esses corpos, e os perigos que estão fora da Terra. 

 

REGISTROS DO EVENTO 

 

 

 

AGRADECIMENTOS 

Agradecemos a todos os sócios que ajudaram na realização do evento; ao Prof. Augusto Almeida pela palestra; A CCTECA por ceder o espaço; ao GaeA – Grupo de Apoio em Eventos Astronômicos por apoiar os grupos de astronomia em seus eventos.  

Asteroid Day – Aracaju/SE

 

 

O Dia do Asteroide é um dia de conscientização global declarado pela ONU em 2016. O próximo Dia do Asteroide acontecerá numa sexta-feira, 30 de Junho de 2017. Porém, devido a greve do 30 de Junho de 2017, iremos realizar o evento no dia 01 de Julho de 2017, no sábado. O evento contará com uma palestra do Prof. Augusto Cesar Silva Almeida – diretor do Planetário da CCTECA Galileu Galilei, de tema “Asteroides: do conceito à ameaça real ao planeta Terra”. Em seguida, teremos coffee break, logo depois um debate sobre a importância de discutirmos o tema.

Mais informações: https://www.facebook.com/events/136874960223433/?acontext=%7B%22action_history%22%3A%22[%7B%5C%22surface%5C%22%3A%5C%22page%5C%22%2C%5C%22mechanism%5C%22%3A%5C%22page_upcoming_events_card%5C%22%2C%5C%22extra_data%5C%22%3A[]%7D]%22%2C%22has_source%22%3Atrue%7D

https://www.facebook.com/seaseastronomia/

RELATÓRIO DE OBSERVAÇÃO DO ASTEROIDE VESTA

 

 

SEASE –SOCIEDADE DE ESTUDOS ASTRONÔMICOS DE SERGIPE

CCTECA GALILEU GALILEI –CASA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA CIDADE DE ARACAJU

RELATÓRIO DE OBSERVAÇÃO DO ASTEROIDE VESTA

EQUIPE DE OBSERVADORES E REGISTRO:

AUGUSTO CESAR SILVA ALMEIDA

Astrônomo amador, sócio fundador da SEASE e Coordenador do

Planetário da CCTECA Galileu Galilei

EDEN SIMÕES

Astrônomo amador, sócio da SEASE e estudante de Lic. em Geografia da UFS

WAGNER ARAÚJO VASCONCELOS

Astrônomo amador, sócio da SEASE e Representante da HP nos estados de Sergipe, Alagoas e Pernambuco.

 

Aracaju, 25 de janeiro de 2017.

   Neste relatório apresentamos, de forma breve, os procedimentos e resultados de busca, observação e registro em imagens do asteroide VESTA. A motivação principal deste trabalho originou-se na vontade da equipe de trabalho e em estudar a astronomia de um ponto de vista mais interativo e prático, além disso almeja o nosso trabalho refinar e aperfeiçoar técnicas de registros dos corpos celestes visando contribuir para o desenvolvimento da astronomia amadora em nosso estado e região.

Outro fato que nos motivou foi participar ativamente, e pela primeira vez, de uma campanha internacional de observação de um asteroide, o ASTEROID DAY, intitulada de “OBSERVANDO O ASTEROIDE VESTA”, campanha dirigida no Brasil pelo GaeA-Grupo de Apoio a Eventos Astronômicos.

O QUE SÃO ASTEROIDES

Asteroides são, de uma maneira geral, restos da formação abortada de um planeta rochoso com aproximadamente quatro massas terrestres, mais especificamente são objetos secos, poeirentos e pequenos demais para reter atmosfera, fato este que os diferenciam dos cometas. A maioria dos asteroides encontra-se no chamado Cinturão de Asteroides, localizado entre as orbitas dos planetas Marte e Júpiter e apresentam períodos variando, em média, de 1,7 a 5,5 anos, com órbitas ligeiramente elípticas e de baixa inclinação e se movimentam no mesmo sentido dos planetas.

O ASTEROIDE VESTA

O asteroide VESTA foi descoberto em 27 de março de 1807 e localiza-se no Cinturão de Asteroide entre as órbitas de Marte e de Júpiter com aproximadamente 560Km de diâmetro, por isso é considerado um asteroide de grande porte. VESTA distancia-se do Sol, em média, cerca de 353 milhões de quilómetros, com período orbital de 3,63 anos e com baixa densidade, gira em torno de seu próprio eixo em 5,34 horas. Sua superfície reflete uma grande quantidade de luz por isso ele é considerado o mais brilhante dos asteroides e o único visível a olho nu em boas condições de observação.

LOCAIS DE OBSERVAÇÃO E REGISTROS

As observações e registros foram todas efetuadas na cidade de Aracaju, estado de Sergipe com latitude de 10,54 ⁰ Sul e Longitude 37 ⁰ Oeste de Greenwich.

Especificamente foram usados quatro locais para a observação do asteroide, sendo dois deles para os registros fotográficos.

                A primeira reunião com o objetivo de localizar e fotografar o asteroide VESTA aconteceu no dia 10/01/2017, a partir das 19h. Inicialmente usamos a área externa do Planetário da CCTECA local onde conseguimos localizá-lo através de binóculos e telescópios mesmo contando com grande poluição luminosa local.

Uma segunda reunião aconteceu no dia 14/01/2017 a partir das 19h, na área externa do Planetário da CCTECA Galileu Galilei, onde a equipe responsável pelos trabalhos contou com a visita do astro fotógrafo André Luís Barroso Figueiredo que nos auxiliou com a tentativa de realizar o alinhamento do telescópios de 150mm SkY Watcher, além de colocar-se a disposição para efetuar registros de imagens do VESTA. Nesta noite não obtivemos sucesso com registros fotográficos, pois o telescópio motorizado apresentou falhas e o local estava com muita poluição luminosa, além da dificuldade em identificar VESTA entre dezenas de estrelas quando visto por binóculos e por outro telescópio de 204mm Sky Watcher sem motorização.

Nos dias 20, 21,22 e 23 de janeiro o astrônomo amador Wagner conseguiu obter uma imagem mas não ficou com boa qualidade e por isso a seu pedido não foi adicionado ao relatório, em contrapartida o astrônomo amador Éden conseguiu obter, com sucesso, quatro imagens do asteroide VESTA usando a área livre de sua residência localizada em outro ponto da cidade de Aracaju, onde a poluição luminosa era menor que na área inicial de observação do Planetário, localizado no Parque da Sementeira.

 LOCALIZAÇÃO DO ASTEROIDE VESTA

Para localizar o asteroide VESTA investigamos a região da constelação de Gêmeos tomando as estrelas Castor e Pollux como referenciais para daí chegar até a localização do asteroide. A partir daí iniciamos as buscas usando binóculos auxiliados pelo programa Stellarium que foi ajustado, por sugestão do astrônomo Éden, para uma escala de magnitudes que apresentasse estrelas até a magnitude de +8.10, já que tínhamos a informação prévia, via sites da internet, que o asteroide estaria com brilho máximo em torno de +6 a +7 na escala de magnitude. Este procedimento serviu para facilitar a localização do objeto via binóculos e telescópios, já que o asteroide VESTA, na prática, tornou-se complicado quando visto através dos equipamentos, pois além da poluição luminosa prejudicar a observação, através dos instrumentos o asteroide VESTA apresentava-se como um pequeno ponto brilhante semelhante a uma dezena de estrelas ao seu redor dificultando em muito a sua localização e não tínhamos a certeza ainda o que realmente estávamos a observar.

IMAGENS DE LOCALIZAÇÃO DO ASTEROIDE VESTA

                Para localizar o asteroide Vesta com grau maior de certeza precisaríamos obter várias imagens em dias seguidos. Seguindo esta recomendação de Augusto, o Éden conseguiu a sequência de imagens a seguir, confirmando a detecção do asteroide VESTA.

   

ANÁLISE DE RESULTADOS

  • Estimativa de deslocamento angular

Para estimar, ainda que de forma grosseira, o deslocamento angular do asteroide Vesta na abóbada celeste usamos como referência o deslocamento do asteroide nas imagens originais tomadas nos dias 22 e 23 e utilizando-se do recurso de medida angular do programa Stellarium podemos estimar que o deslocamento diário do asteroide Vesta ficou em média em torno de 16 a 17min 26 s de arco.

EQUIPAMENTOS USADOS

Durante todas as buscas efetuadas por nossa equipe de trabalho contamos com o auxílio dos seguintes equipamentos e materiais:

Binóculos 60×20 PENTAX com tripé,

Binóculos 50X10 TENTO (URSS);

Binóculos 60×10 EXPENSE,

Telescópio SkY Watcher de 150 mm em montagem altazimutal com Go to;

Telescópio SkY Watcher de 204mm em montagem Equatorial;

Telescópio Refletor Newtoniano “SOFIA” de 135mm, manufaturado e em montagem Altazimutal;

Telescópio refletor Newtoniano SkY Watcher Heritage Virtuoso de 114mm, com montagem Alta- azimutal e Go to.

Dois Laser Pointer verde com potencias de 1000mW 500mW;

Web Câm. LOGINTEC C270;

Câmera Microsoft Lúmia 640

Notebook SANSUNG VR415

Programa simulador Stellarium VERSÃO 0.14.3

Monóculo 50 X15

Oculares de 32mm, 25mm.

 

DIFICULDADES ENFRENTADAS  

Durante as atividades para localizar e registrar a posição do asteroide a equipe enfrentou algumas dificuldades: a primeira delas foi exatamente saber se realmente o que estávamos observando era, de fato, o asteroide e não uma estrela, já que mesmo com a ajuda do programa Stellarium ficou difícil esta tarefa visto que tanto no campo das oculares e no campo dos binóculos não havia uma estrela muito brilhante que nos servisse de referência para localizar o objeto. Para solucionar este problema o astrônomo Augusto Almeida sugeriu ao astrônomo Éden que fotografasse a mesma região do céu por vários dias e com isso detectar nas imagens o movimento do asteroide, foi o que ocorreu nas noites dos dias 20, 21, 22 23 na sequência de imagens apresentadas na sessão 06 deste relatório.

Outra dificuldade enfrentada pela equipe foi a poluição luminosa acentuada quando da realização dos dois primeiros encontros realizados na área externa do Planetário da CCTECA Galileu Galilei, além disso havia a presença da Lua cheia. Aguardamos alguns dias para iniciarmos observações particulares em nossas residências e a partir daí conseguimos localizá-lo com maior facilidade.

Um problema na calibração do telescópio com Go To de 150mm também dificultou os trabalhos já que se estivesse realmente funcionando a ideia era ligá-lo ao programa Stellarium e localizar com precisão o objeto VESTA.

 AGRADECIMENTOS E SUGESTÕES

AGRADECIMENTOS

  • A equipe agradece ao Planetário da CCTECA GALILEU GALILEI pelo apoio logístico, técnico e o espaço cedido durante os dois momentos de tentativa de localização do asteroide VESTA;
  • Agradecemos o apoio da atual gestão-New Horizons, da SEASE-Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe por nos ceder a maioria dos telescópios e oculares utilizados na primeira fase de observação e localização do asteroide VESTA.
  • Agradecemos aos organizadores do GAEA-Grupo de Apoio a Eventos Astronômicos por promover em nível nacional uma campanha de observação do asteroide VESTA;
  • Agradecemos também o apoio e auxílio do astro fotografo e astrônomo amador André Luís Barroso Figueiredo que esteve presente ao segundo dia de buscas do asteroide.

SUGESTÕES

  • Sugerimos que o grupo GaeA divulgue mais recursos tipo cartas celestes de localização do objeto ou indique links onde se possa obter estas informações;
  • Sugerimos para as próximas campanhas de observação de qualquer objeto, que o GaeA adicione, se possível, um modelo padrão de relatório a ser seguido, para que os relatos obtenham um formato mais científico e organizado;
  • Sugerimos que o GaeA promova e divulgue campanhas de observações de asteroides em datas sem a presença da Lua cheia, desse modo facilitará a visualização do objeto para o grande público e aumentará substancialmente a chance de efetuar registros fotográficos dos objetos observados.

11- BIBLIOGRAFIA CONSULTADA

  • REES, Martin –O Sistema Solar -Coleção Enciclopédia Ilustrada do Universo-Vol.-2: São Paulo: Duetto editorial,2008.

Descoberto um mundo potencialmente habitável (exoplaneta “Próxima b”) em nossa estrela mais próxima do sistema solar (Próxima Centauri) a 4,2 anos-luz (1,3 parsecs ou 40 trilhões de km) de distância da Terra.

 

Uma equipe internacional de astrônomos da campanha “Pale Red Dot [Pálido ponto Vermelho]” (https://palereddot.org/) encontraram evidências de um mundo potencialmente habitável orbitando a estrela mais próxima da Terra, Próxima Centauri, uma anã vermelha, estrela com cerca de 15% do raio e 12% da massa do Sol, é a estrela mais próxima do sistema solar à 4,2 anos-luz(1,3 parsecs ou 40 trilhões de km) de distância da Terra (ou do sistema solar). O planeta, chamado “Próxima b”, tem uma massa mínima de 1,3 vezes a da Terra e orbita sua estrela-mãe a cada 11,2 dias, recebendo cerca de 70% da energia que a Terra recebe do Sol e o mais similar à Terra já descoberto até hoje e ainda é o mais perto de todos. Esta descoberta é um marco histórico para à Astronomia, pelos motivos científicos, filosóficos, etc.

Obs.: Quando falamos em “potencialmente habitável” significa dizer que é bastante parecido com a Terra em características de temperatura, pressão, acidez, etc, e não que exista vidas nele e sim que teria condições físicas, químicas, biológicas,etc, de abrigar vidas.

Texto: J. S. L.

II Luau Astronômico – 10 de Setembro de 2016

 
Venha participar da 2ª edição do LUAU ASTRONÔMICO!

Um evento com muita música, diversão e ciência, traga seu instrumento musical, traga seu telescópio, vamos fazer uma grande festa. A entrada é gratuita!!!

Outras informações: Luau astronômico

II Luau Astronômico - Setembro de 2016

Histórico:
O Luau Astronômico é um evento idealizado pelo professor Dr.Raimundo Lopes do do grupo de Astronomia do Departamento de física da UFS. Teve sua primeira edição em 2014 e foi um sucesso com mais de 500 pessoas presentes. As pessoas entraram no clima da festa e muitos trouxeram seus equipamentos Astronômicos e ou instrumentos musicais. Foi uma bela troca de conhecimento com muita diversão. Os Anfitriões do evento ofereceram música ao vivo com Marissol Mwaba e o Gramophone Jazz Group, observações com telescópios, sessões no planetário, apresentação de softwares com data show e exposição de meteoritos.

—————————————————

Informações do II Luau Astronômico
Cartaz e informações

(https://www.facebook.com/seaseastronomia/photos/a.143471339172115.1073741828.143131675872748/527924877393424/?type=3,  http://sease.org.br/ii-luau-astronomico/, http://sease.org.br/nossas-atracoes-no-ii-luau-astronomico-10-de-setembro-de-2016/, https://twitter.com/sease_astro/status/766453332978302976)

Relatório e fotos

(https://www.facebook.com/seaseastronomia/photos/a.538234723029106.1073741883.143131675872748/538234743029104/?type=3, http://sease.org.br/sobre-a-segunda-edicao-do-luau-astronomico-realizado-em-10-de-setembro-de-2016/)

Vídeos

(https://www.facebook.com/seaseastronomia/posts/538249103027668, https://www.youtube.com/watch?v=r8-UOrLY6Ek, https://www.youtube.com/watch?v=NSp602odB08)

 

 

O projeto “Astronomia: O céu para os olhos e saberes do povo sergipano” foi visitar no dia 8 de agosto de 2016 a Escola Municipal Abelardo Vieira de Menezes localizada no município de Siriri.

 

O projeto “Astronomia: O céu para os olhos e saberes do povo sergipano” foi visitar no dia 8 de agosto de 2016 a Escola Municipal Abelardo Vieira de Menezes localizada no município de Siriri. A equipe da SEASE foi super bem recebida pelos professores, alunos e demais funcionários, que já haviam preparado o lugar para nos receber. Nós iniciamos palestrando e mostrando aos alunos como a astronomia estava na vida deles. E a importância dela e sua multidisciplinaridade. Em seguida demos cursos práticos de manipulação de telescópios e uso de softwares como mitaka e stellarium. Essas atividades ocorreram simultaneamente. Foram atendidos os alunos do ensino regular e do EJA. O Físico Victor Cruzr fez uma viagem no nosso sistema solar e Via Láctea com o software Mitaka, posteriormente também ensinou os alunos a manipular o telescópio eletrônico da SEASE e também estimulou os alunos a fazer (e deu dicas) astrofotografia com o celular. O associado e vice presidente da SEASE Jaelsson ensinou os alunos a manipular os telescópios o Maksutov e o eletrônico. Além de etimular os alunos a observar objetos com o binóculo e ensinar sobre os astros visíveis. A associada e Tesoureira da SEASE Ívina ministrou a palestra sobre a multidiscipinaridade da astronomia e depois para os alunos do EJA abordou o uso do Mitaka e do stellarium. Também em revezamentos explicou o funcionamento do telescópio maksutov. Nessas oficinas os alunos colocaram a mão na massa e operaram os equipamentos inclusive os que aprendiam eram estimulados a ensinar aos seus amigos. A colaboradora Física Médica Débora Siqueira foi a fotógrafa desse evento.
Obrigada a todos da Escola Municipal Abelardo Vieira de Menezes. Em especial a coordenadora Magaly, aos associados da SEASE presentes, aos amigos que foram nos auxiliar, a FAPITEC, a CCTECA e a PROTEGE.
Fotos by Débora Siqueira

13872966_524217894430789_3445238369504504238_n 13872969_524217201097525_581878029848364184_n 13880125_524217137764198_6280755778519689379_n 13880296_524217254430853_8824918200263244647_n 13880332_524217787764133_4144554723127755029_n 13882640_524217581097487_7692833884905070276_n 13886505_524217984430780_936392234481105902_n 13887036_524217327764179_6974444461331877454_n 13892386_524217594430819_8710170326697730042_n 13895104_524218131097432_6413468070727222281_n 13895305_524217691097476_6052849310448969313_n 13895407_524217367764175_6168701481917184348_n (1) 13895407_524217367764175_6168701481917184348_n 13900304_524217754430803_6317077256545511040_n 13902620_524217634430815_1804869694890522390_n 13903231_524217407764171_8238854897642217393_n 13903267_524217537764158_7891301607150065662_n 13907096_524217941097451_8921739967360513726_n 13907113_524217347764177_6346570875301699554_n (1) 13907113_524217347764177_6346570875301699554_n 13907113_524217524430826_6873050823725185421_n 13912342_524217487764163_4074367268561066915_n 13912486_524217681097477_3722590619109465879_n 13912670_524217621097483_4216081876945703602_n 13912753_524217881097457_6248588756668464410_n 13920602_524217451097500_4468219023266792698_n 13920864_524217721097473_389695891386616280_n 13920990_524217801097465_3610773690746011358_n 13921003_524217834430795_4557012942492652856_n 13921093_524217567764155_4897731869374009547_n 13921094_524217971097448_5971292950119631795_n 13921194_524218021097443_8745060888417071637_n 13924869_524217507764161_6456395490694229299_n 13925002_524217911097454_8297055423735946648_n 13934700_524217231097522_153339180473122612_n 13939447_524217467764165_3649141526873558989_n 13939582_524217371097508_3161925671409360644_n

SOBRE AS OBSERVAÇÕES DOS DIAS 17 E 18 DE JUNHO DE 2016

 

A Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE), juntamente com a Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA – Galileu Galilei) e apoiada da Fundação de Apoio à Pesquisas e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (FAPITEC/SE), realizaram  observações com telescópios abertas ao público na área externa da CCTECA nesta Sexta (17) e Sábado (18) de Junho.

Nas observações foram usados – o telescópio Catadióptrico (Maksutov) de 90mm, um Refletor (Dobsoniano) de 180mm e um Refletor (Dobsoniano)  de 254mm, com o suporte de diversas oculares (10mm, 15mm, 20mm e 25mm). Tendo suporte de um computador e projetor na apresentação do software Stellarium e Mitaka, onde ocorreram explicações sobre alguns temas de astronomia, astrofísica e cosmologia, exemplo do Universo em escala, magnitudes de estrelas e distâncias de objetos celestes até assuntos relacionados a possibilidades de vidas em outros mundos.

As observações desta sexta e sábado, 17 e 18, contaram com poucas pessoas devido às condições climáticas ruins para a realização das mesmas, mas quem compareceu teve o privilégio de observar o planeta Júpiter, a Lua, o planeta Marte e Saturno, e alguns satélites destes planetas.

Essas observações são rotineiras oferecidas pela SEASE (são em média 4 observações abertas ao público por mês, sempre em períodos de Lua Crescente e Cheia), cujo objetivo é atender ao público e passar de modo geral um pouco de conhecimento e informação sobre Astronomia na qual é uma ciência pouco divulgada.

Nós que fazemos a SEASE somos gratos à todo o público que participou e ter nos proporcionado muitas emoções, contamos com a presença de vocês em outras oportunidades. Dia, 21, estaremos realizando atividades no povoado Sapé em Itaporanga d’ Ajuda na Escola Municipal Professor Nilson Barreto Socorro. Até Breve!

Créditos de imagens: João Victor.

Texto: Jaelsson S. Lima.

mitaka sease_observação1 sease_observação2 sease_observação3 sease_observação4 sease_observação5 sease_observação6