Relatório do Asteroid Day – Aracaju/SE

 

RELATÓRIO DO ASTEROID DAY 

 

SOCIEDADE DE ESTUDOS ASTRONÔMICOS DE SERGIPE  

SÓCIOS PARTICIPANTES: TAYSSA BARRETO,  LILIANE MARTINS, AUGUSTO ALMEIDA, THAYNARA SANTOS, IVO CAMPOS, ISRAEL SANTOS, WAGNER ARAÚJO, EDEN SIMÕES, SÁVIO MOREIRA .   

RELATORA: THAYNARA SANTOS NASCIMENTO.  

ARACAJU/SE, 04 DE JULHO DE 2017.

 

 

O QUE É O ASTEROID DAY? 

O Dia do Asteroide, declarado pela ONU em 2016, é um dia de conscientização global que divulga e alerta a população para o perigo da queda de asteroides no planeta Terra. O último Dia do Asteroide aconteceu numa sexta-feira, 30 de Junho de 2017, que no Brasil é realizado através do apoio do GaeA – Grupo de Apoio em Eventos Astronômicos.  

Fontes: http://press.exoss.org/asteroid-day-2017-brasil-tem-o-maior-numero-de-eventos-em-todo-o-mundo/

https://www.facebook.com/gaea.astronomia

 

 

ASTEROID DAY REALIZADO PELA SEASE

Devido à greve do 30 de Junho de 2017, realizamos o evento relativo a essa data, no dia 01 de Julho de 2017, no sábado. Contamos com a presença de cerca de 30 pessoas. O evento contou com uma palestra do Prof. Augusto Cesar Silva Almeida – diretor do Planetário da CCTECA Galileu Galilei, de tema “Asteroides: do conceito à ameaça real ao planeta Terra”, que explicou a formação do nosso sistema solar; posições dos corpos celestes; os conceitos de cometas,  meteoroides, meteoros e meteoritos; as quedas de meteoritos, cometas e asteroides mais famosos que tivemos na Terra; a ameaça desses corpos ao nosso planeta; a importância do Asteroid Day para a sociedade; informou sobre os grupos que fazem trabalhos de monitoramento dos céus e de asteroides; mostrou como podemos observar um asteroide; e por fim, apresentou o trabalho que SEASE fez, ao observar e registrar o asteroide Vesta (Link do relatório dessa observação:http://sease.org.br/asteroidevesta3170-2/). Em seguida, tivemos coffee break, logo depois um debate sobre a importância de discutirmos o tema. 

 

IMPORTÂNCIA DO EVENTO PARA A SEASE  

Esse evento é de grande importância mundial, pois é algo real, que necessita de estudos e conhecimento para assegurar, até mesmo, nossa sobrevivência no planeta. E tomando consciência disso, a SEASE  participou para mostrar a população local, a necessidade de aprender mais sobre o tema, entender sobre esses corpos, e os perigos que estão fora da Terra. 

 

REGISTROS DO EVENTO 

 

 

 

AGRADECIMENTOS 

Agradecemos a todos os sócios que ajudaram na realização do evento; ao Prof. Augusto Almeida pela palestra; A CCTECA por ceder o espaço; ao GaeA – Grupo de Apoio em Eventos Astronômicos por apoiar os grupos de astronomia em seus eventos.  

Relatório do XVII EANE

 

RELATÓRIO DO XVII EANE 

SOCIEDADE DE ESTUDOS ASTRONÔMICOS DE SERGIPE 

SÓCIOS PARTICIPANTES: PRISCILLA ARAGÃO MENEZES DA SILVA, LIS RAMOS BARRETO DE ALMEIDA, MARIA BEATRIZ SANTOS LIMA, THAYNARA SANTOS NASCIMENTO, IVO MATIAS CAMPOS.  

RELATORA: THAYNARA SANTOS NASCIMENTO. 

    

ARACAJU, 23/06/2017 
 

O QUE É O EANE? 

No nordeste do Brasil, desde a década de 70 do século XX, temos procurado nos reunir para discutir, aprender e compartilhar a astronomia. Desde 2005 realizamos anualmente encontros regionais. No período de 2005 a 2012 nossos encontros foram denominados Encontros Interestaduais Nordestinos de Astronomia – EINA. A partir de 2012 resgatamos a denominação primeira e tradicional, Encontro de Astronomia do Nordeste – EANE, cunhada por mestres como Rubens de Azevedo, Jorge Polman e Rômulo Argentiere. Identificamos cada EINA ao EANE respectivo. Dessa forma, temos no I EINA o 5º EANE, no II EINA o 6º EANE e assim sucessivamente. 

    

EANE EM MACEIÓ 

 Nesse ano de 2017, o 17° EANE foi realizado na cidade de Maceió, no estado de Alagoas. Nos dias 15, 16 e 17 de Junho.  O 17º EANE foi organizado pela Liga Norte-Nordestina de Astronomia com apoio do Observatório Astronômico Genival Leite Lima da Secretaria da Educação do Estado de Alagoas, Clube de Astronomia de Maceió, e da Usina Ciência da Universidade Federal de Alagoas. O evento contou com cerca de 69 pessoas. As atividades ocorreram no Centro de Formação Dr. Ib Gatto Falcão – Centro Educacional de Pesquisas Aplicada – CEPA – 57055-000, Avenida Fernandes Lima, Farol, Maceió, Alagoas  

Na abertura do evento contamos a palestra da Profa.Dra. Maria Elizabeth Zucolloto, do Museu Nacional da UFRJ  (Universidade Federal do Rio de Janeiro). De título “em busca dos meteoritos brasileiros”. A palestrante contou um pouco da vasta história das descobertas de meteoritos no Brasil, e de suas participações em buscas. 

No Segundo dia, tivemos a palestra “O Ensino da astronomia na educação básica segundo a legislação vigente” do Prof. Me. José Isnaldo de Lima Barbosa / Instituto Federal de Alagoas. O mestre apresentou os aspectos da legislação no que tange o ensino de astronomia. Em seguida, ocorreu a exposição de pôsteres, astrofotografias, astropoesias, astropinturas e telescópios. Logo depois, a palestra de tema “A origem e as dimensões do metro”, do Prof. José Rodrigues de Medeiros – Associação Paraibana de Astronomia”. O professor explicou os processos de medições e como o avanço do conhecimento ajudou a encontrar as unidades de medidas que utilizamos. No mesmo dia, contamos com várias apresentações orais, das 14h às 15:30h. Logo após, contamos com mais uma exposição de pôsteres. 

No final da tarde, tivemos dois minicursos:  Alinhamento polar para astrofotografia / Marcelo Zurita – APA, que mostro uma forma muito eficaz de alinhar equipamentos. Confecção de espelhos esféricos para telescópios newtonianos – Genisson Panta e Adriano Aubert / CLAM e OAGLL, que apresentou formas de como construir espelhos esféricos. 

Em seguida, contamos com a apresentação  de Mitsuo Ishiguro da Sociedade Astronômica do Recife – SAR, de tema “Astronomia e meio ambiente”. Mostrou os problemas ambientais que o avanço da tecnologia tem causado e como a astronomia pode ajudar a combatê-los. E terminaríamos o dia com uma visita ao OAGLL (Observatório Astronômico Genival Leite Lima),porém devido à chuva, a visita foi cancelada. 

No último dia, começamos com a palestra “Panorama Atual da Radioastronomia Amadora” de Paulo Vamberto da Associação Paraibana de Astronomia – APA. Mostrou todo cenário da rádio astronomia amadora. Em seguida, uma exposição com pôsteres. 

Logo depois, a palestra “Epsilon Gruids e August Caelids – Primeiras Chuvas de Meteoros Descoberta por Brasileiros ”, Marcelo Zurita – Associação Paraibana de Astronomia e Brazilian Meteor Observers Network. Apresentou todo o trabalho da BRAMON, além de mostrar cada passo da descoberta da chuva de meteoros.  

Às 13h deu-se início as apresentações orais, e terminou Às 15h.  

Em seguida foram ministrados dois minicursos: Introdução à astrofotografia – Romualdo A. A. Caldas / CEAAL, explicou conceitos e a história da astrofotografia. Fotometria de estrelas variáveis com Iris e AFVis – Adriano Aubert / OAGLL, mostrou e explicou todo processo de fotometria. 

A palestra final foi “Cosmologia – Dos mitos gregos às equações de Einstein” do Prof. Dr. Antônio de Pádua Santos / IF-UFRPE, que explicou toda a história da busca do conhecimento humano, no que envolve a astronomia, e a ciência contemporânea. 

E o evento terminou com assembleia final do 17º EANE, que contou com representantes de clubes e grupos de astronomia do nordeste. Cada participante da mesa expressou suas opiniões sobre o evento. E também foi aberta a votação para saber quem seria a próxima cidade a realizar o EANE de 2019, e por unanimidade, a cidade de Arapiraca- AL ganhou. 

 

IMPORTÂNCIA DO EVENTO PARA A SEASE 

O EANE é de grande importância para a astronomia nordestina, pois ele é um meio que facilita a comunicação entre grupos e instituições de astronomia, além de levar conhecimento, divulgações científicas e troca de ideias entre seu público. E para a SEASE, não foi diferente. Lá os sócios participantes puderam ter contanto com grandes amadores da ciência, além de levar as ideias e projetos da sociedade, e debates, trazendo assim, benefícios para o futuro da Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe.   

 

 

 Participação dos estados do nordeste no XVII EANE. (fonte: https://www.facebook.com/17eane/photos/a.365077673892607.1073741828.364039803996394/409869679413406/?type=3&theater)  

REGISTROS DO EVENTO  

      

AGRADECIMENTOS 

Agradecemos a todos os sócios da SEASE que conseguiram participar do evento; a SEASE; aos organizadores do XVII EANE, em especial aos queridíssimos Adriano Aubert e Rôse Meire Dias, por toda atenção e suporte. 

 

FONTES:  

https://www.facebook.com/17eane/ 

https://www.doity.com.br/17eane 

 

RELATÓRIO DE OBSERVAÇÃO DO ASTEROIDE VESTA

 

 

SEASE –SOCIEDADE DE ESTUDOS ASTRONÔMICOS DE SERGIPE

CCTECA GALILEU GALILEI –CASA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA CIDADE DE ARACAJU

RELATÓRIO DE OBSERVAÇÃO DO ASTEROIDE VESTA

EQUIPE DE OBSERVADORES E REGISTRO:

AUGUSTO CESAR SILVA ALMEIDA

Astrônomo amador, sócio fundador da SEASE e Coordenador do

Planetário da CCTECA Galileu Galilei

EDEN SIMÕES

Astrônomo amador, sócio da SEASE e estudante de Lic. em Geografia da UFS

WAGNER ARAÚJO VASCONCELOS

Astrônomo amador, sócio da SEASE e Representante da HP nos estados de Sergipe, Alagoas e Pernambuco.

 

Aracaju, 25 de janeiro de 2017.

   Neste relatório apresentamos, de forma breve, os procedimentos e resultados de busca, observação e registro em imagens do asteroide VESTA. A motivação principal deste trabalho originou-se na vontade da equipe de trabalho e em estudar a astronomia de um ponto de vista mais interativo e prático, além disso almeja o nosso trabalho refinar e aperfeiçoar técnicas de registros dos corpos celestes visando contribuir para o desenvolvimento da astronomia amadora em nosso estado e região.

Outro fato que nos motivou foi participar ativamente, e pela primeira vez, de uma campanha internacional de observação de um asteroide, o ASTEROID DAY, intitulada de “OBSERVANDO O ASTEROIDE VESTA”, campanha dirigida no Brasil pelo GaeA-Grupo de Apoio a Eventos Astronômicos.

O QUE SÃO ASTEROIDES

Asteroides são, de uma maneira geral, restos da formação abortada de um planeta rochoso com aproximadamente quatro massas terrestres, mais especificamente são objetos secos, poeirentos e pequenos demais para reter atmosfera, fato este que os diferenciam dos cometas. A maioria dos asteroides encontra-se no chamado Cinturão de Asteroides, localizado entre as orbitas dos planetas Marte e Júpiter e apresentam períodos variando, em média, de 1,7 a 5,5 anos, com órbitas ligeiramente elípticas e de baixa inclinação e se movimentam no mesmo sentido dos planetas.

O ASTEROIDE VESTA

O asteroide VESTA foi descoberto em 27 de março de 1807 e localiza-se no Cinturão de Asteroide entre as órbitas de Marte e de Júpiter com aproximadamente 560Km de diâmetro, por isso é considerado um asteroide de grande porte. VESTA distancia-se do Sol, em média, cerca de 353 milhões de quilómetros, com período orbital de 3,63 anos e com baixa densidade, gira em torno de seu próprio eixo em 5,34 horas. Sua superfície reflete uma grande quantidade de luz por isso ele é considerado o mais brilhante dos asteroides e o único visível a olho nu em boas condições de observação.

LOCAIS DE OBSERVAÇÃO E REGISTROS

As observações e registros foram todas efetuadas na cidade de Aracaju, estado de Sergipe com latitude de 10,54 ⁰ Sul e Longitude 37 ⁰ Oeste de Greenwich.

Especificamente foram usados quatro locais para a observação do asteroide, sendo dois deles para os registros fotográficos.

                A primeira reunião com o objetivo de localizar e fotografar o asteroide VESTA aconteceu no dia 10/01/2017, a partir das 19h. Inicialmente usamos a área externa do Planetário da CCTECA local onde conseguimos localizá-lo através de binóculos e telescópios mesmo contando com grande poluição luminosa local.

Uma segunda reunião aconteceu no dia 14/01/2017 a partir das 19h, na área externa do Planetário da CCTECA Galileu Galilei, onde a equipe responsável pelos trabalhos contou com a visita do astro fotógrafo André Luís Barroso Figueiredo que nos auxiliou com a tentativa de realizar o alinhamento do telescópios de 150mm SkY Watcher, além de colocar-se a disposição para efetuar registros de imagens do VESTA. Nesta noite não obtivemos sucesso com registros fotográficos, pois o telescópio motorizado apresentou falhas e o local estava com muita poluição luminosa, além da dificuldade em identificar VESTA entre dezenas de estrelas quando visto por binóculos e por outro telescópio de 204mm Sky Watcher sem motorização.

Nos dias 20, 21,22 e 23 de janeiro o astrônomo amador Wagner conseguiu obter uma imagem mas não ficou com boa qualidade e por isso a seu pedido não foi adicionado ao relatório, em contrapartida o astrônomo amador Éden conseguiu obter, com sucesso, quatro imagens do asteroide VESTA usando a área livre de sua residência localizada em outro ponto da cidade de Aracaju, onde a poluição luminosa era menor que na área inicial de observação do Planetário, localizado no Parque da Sementeira.

 LOCALIZAÇÃO DO ASTEROIDE VESTA

Para localizar o asteroide VESTA investigamos a região da constelação de Gêmeos tomando as estrelas Castor e Pollux como referenciais para daí chegar até a localização do asteroide. A partir daí iniciamos as buscas usando binóculos auxiliados pelo programa Stellarium que foi ajustado, por sugestão do astrônomo Éden, para uma escala de magnitudes que apresentasse estrelas até a magnitude de +8.10, já que tínhamos a informação prévia, via sites da internet, que o asteroide estaria com brilho máximo em torno de +6 a +7 na escala de magnitude. Este procedimento serviu para facilitar a localização do objeto via binóculos e telescópios, já que o asteroide VESTA, na prática, tornou-se complicado quando visto através dos equipamentos, pois além da poluição luminosa prejudicar a observação, através dos instrumentos o asteroide VESTA apresentava-se como um pequeno ponto brilhante semelhante a uma dezena de estrelas ao seu redor dificultando em muito a sua localização e não tínhamos a certeza ainda o que realmente estávamos a observar.

IMAGENS DE LOCALIZAÇÃO DO ASTEROIDE VESTA

                Para localizar o asteroide Vesta com grau maior de certeza precisaríamos obter várias imagens em dias seguidos. Seguindo esta recomendação de Augusto, o Éden conseguiu a sequência de imagens a seguir, confirmando a detecção do asteroide VESTA.

   

ANÁLISE DE RESULTADOS

  • Estimativa de deslocamento angular

Para estimar, ainda que de forma grosseira, o deslocamento angular do asteroide Vesta na abóbada celeste usamos como referência o deslocamento do asteroide nas imagens originais tomadas nos dias 22 e 23 e utilizando-se do recurso de medida angular do programa Stellarium podemos estimar que o deslocamento diário do asteroide Vesta ficou em média em torno de 16 a 17min 26 s de arco.

EQUIPAMENTOS USADOS

Durante todas as buscas efetuadas por nossa equipe de trabalho contamos com o auxílio dos seguintes equipamentos e materiais:

Binóculos 60×20 PENTAX com tripé,

Binóculos 50X10 TENTO (URSS);

Binóculos 60×10 EXPENSE,

Telescópio SkY Watcher de 150 mm em montagem altazimutal com Go to;

Telescópio SkY Watcher de 204mm em montagem Equatorial;

Telescópio Refletor Newtoniano “SOFIA” de 135mm, manufaturado e em montagem Altazimutal;

Telescópio refletor Newtoniano SkY Watcher Heritage Virtuoso de 114mm, com montagem Alta- azimutal e Go to.

Dois Laser Pointer verde com potencias de 1000mW 500mW;

Web Câm. LOGINTEC C270;

Câmera Microsoft Lúmia 640

Notebook SANSUNG VR415

Programa simulador Stellarium VERSÃO 0.14.3

Monóculo 50 X15

Oculares de 32mm, 25mm.

 

DIFICULDADES ENFRENTADAS  

Durante as atividades para localizar e registrar a posição do asteroide a equipe enfrentou algumas dificuldades: a primeira delas foi exatamente saber se realmente o que estávamos observando era, de fato, o asteroide e não uma estrela, já que mesmo com a ajuda do programa Stellarium ficou difícil esta tarefa visto que tanto no campo das oculares e no campo dos binóculos não havia uma estrela muito brilhante que nos servisse de referência para localizar o objeto. Para solucionar este problema o astrônomo Augusto Almeida sugeriu ao astrônomo Éden que fotografasse a mesma região do céu por vários dias e com isso detectar nas imagens o movimento do asteroide, foi o que ocorreu nas noites dos dias 20, 21, 22 23 na sequência de imagens apresentadas na sessão 06 deste relatório.

Outra dificuldade enfrentada pela equipe foi a poluição luminosa acentuada quando da realização dos dois primeiros encontros realizados na área externa do Planetário da CCTECA Galileu Galilei, além disso havia a presença da Lua cheia. Aguardamos alguns dias para iniciarmos observações particulares em nossas residências e a partir daí conseguimos localizá-lo com maior facilidade.

Um problema na calibração do telescópio com Go To de 150mm também dificultou os trabalhos já que se estivesse realmente funcionando a ideia era ligá-lo ao programa Stellarium e localizar com precisão o objeto VESTA.

 AGRADECIMENTOS E SUGESTÕES

AGRADECIMENTOS

  • A equipe agradece ao Planetário da CCTECA GALILEU GALILEI pelo apoio logístico, técnico e o espaço cedido durante os dois momentos de tentativa de localização do asteroide VESTA;
  • Agradecemos o apoio da atual gestão-New Horizons, da SEASE-Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe por nos ceder a maioria dos telescópios e oculares utilizados na primeira fase de observação e localização do asteroide VESTA.
  • Agradecemos aos organizadores do GAEA-Grupo de Apoio a Eventos Astronômicos por promover em nível nacional uma campanha de observação do asteroide VESTA;
  • Agradecemos também o apoio e auxílio do astro fotografo e astrônomo amador André Luís Barroso Figueiredo que esteve presente ao segundo dia de buscas do asteroide.

SUGESTÕES

  • Sugerimos que o grupo GaeA divulgue mais recursos tipo cartas celestes de localização do objeto ou indique links onde se possa obter estas informações;
  • Sugerimos para as próximas campanhas de observação de qualquer objeto, que o GaeA adicione, se possível, um modelo padrão de relatório a ser seguido, para que os relatos obtenham um formato mais científico e organizado;
  • Sugerimos que o GaeA promova e divulgue campanhas de observações de asteroides em datas sem a presença da Lua cheia, desse modo facilitará a visualização do objeto para o grande público e aumentará substancialmente a chance de efetuar registros fotográficos dos objetos observados.

11- BIBLIOGRAFIA CONSULTADA

  • REES, Martin –O Sistema Solar -Coleção Enciclopédia Ilustrada do Universo-Vol.-2: São Paulo: Duetto editorial,2008.

Descoberto um mundo potencialmente habitável (exoplaneta “Próxima b”) em nossa estrela mais próxima do sistema solar (Próxima Centauri) a 4,2 anos-luz (1,3 parsecs ou 40 trilhões de km) de distância da Terra.

 

Uma equipe internacional de astrônomos da campanha “Pale Red Dot [Pálido ponto Vermelho]” (https://palereddot.org/) encontraram evidências de um mundo potencialmente habitável orbitando a estrela mais próxima da Terra, Próxima Centauri, uma anã vermelha, estrela com cerca de 15% do raio e 12% da massa do Sol, é a estrela mais próxima do sistema solar à 4,2 anos-luz(1,3 parsecs ou 40 trilhões de km) de distância da Terra (ou do sistema solar). O planeta, chamado “Próxima b”, tem uma massa mínima de 1,3 vezes a da Terra e orbita sua estrela-mãe a cada 11,2 dias, recebendo cerca de 70% da energia que a Terra recebe do Sol e o mais similar à Terra já descoberto até hoje e ainda é o mais perto de todos. Esta descoberta é um marco histórico para à Astronomia, pelos motivos científicos, filosóficos, etc.

Obs.: Quando falamos em “potencialmente habitável” significa dizer que é bastante parecido com a Terra em características de temperatura, pressão, acidez, etc, e não que exista vidas nele e sim que teria condições físicas, químicas, biológicas,etc, de abrigar vidas.

Texto: J. S. L.

SOBRE AS OBSERVAÇÕES DOS DIAS 15 E 16 DE ABRIL DE 2016

 

SOBRE AS OBSERVAÇÕES DOS DIAS 15 E 16 DE ABRIL DE 2016

Mais uma vez, a Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE), juntamente com a Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA – Galileu Galilei) e apoiada da Fundação de Apoio à Pesquisas e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (FAPITEC/SE), realizaram observações com telescópios abertas ao público na área externa da CCTECA nesta Sexta (15) e Sábado (16) de Abril.

Nas observações foram usados – o telescópio Catadióptrico (Maksutov) de 90mm, um Refletor (Dobsoniano) de 180mm e um Refletor (Newtoniano) motorizado de 150mm, além de um computador e projetor, diversas oculares (9mm, 10mm, 15mm, 25mm e 32mm) e laser para apontar e explicar melhor os objetos no céu. Em paralelo foram realizados testes de equipamentos se preparando para a cobertura do transito do planeta Mercúrio sobre o Sol (no dia 9 de Maio) e respectivos estudos científicos a serem realizados.

As observações contaram com cerca de 50 pessoas, e foram observados o planeta Júpiter e a Lua (utilizando os telescópios de 180mm, e 90mm) durante a maior parte do tempo. Depois, ocorreram algumas pausas na observação por causa das nuvens. Nesta observação, percebemos o número crescente de pessoas interessadas pelo curso de Física e Física com Hab.em Astronomia, além de outras perguntas sobre eventos astronômicos e dúvidas diversas, etc.

Essas observações são rotineiras oferecidas pela SEASE (são em média 4 observações abertas ao público por mês, sempre em períodos de Lua Crescente e Cheia), cujo objetivo é atender ao público e passar de modo geral um pouco de conhecimento e informação sobre Astronomia na qual é uma ciência pouco divulgada.
Nós que fazemos a SEASE somos gratos à todo o público que participou e ter nos proporcionado muitas emoções, contamos com a presença de vocês em outras oportunidades. Até breve!

Texto: Jaelsson Lima e Thaynara Santos.

IMG_1901 IMG_1903 IMG_1904 IMG_1905

SOBRE AS OBSERVAÇÕES DOS DIAS 19 E 20 DE FEVEREIRO DE 2016

 

SOBRE AS OBSERVAÇÕES DOS DIAS 19 E 20 DE FEVEREIRO DE 2016

A Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE), juntamente com a Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA – Galileu Galilei) e apoiada da Fundação de Apoio à Pesquisas e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (FAPITEC/SE), realizaram observações com telescópios abertas ao público na área externa da CCTECA nesta Sexta (19) e Sábado (20) de Fevereiro.

Nas observações foram usados – o telescópio, Dobsoniano de 180mm e um binóculo e diversas oculares (9mm, 10mm, 15mm, 25mm e 32mm) e laser para apontar e explicar melhor os objetos no céu. Foram observados as crateras da Lua, as Plêiades (M45), que é um aglomerado estrelar aberto de estrelas jovens na “constelação de Touro”, o mesmo é popularmente conhecido como “sete estrelas”. O aglomerado é dominado por estrelas que se formaram nos últimos 100 milhões de anos. Há uma nebulosa de reflexão formada por poeira em torno das estrelas mais brilhantes, mas que não existe uma relação direta entre elas. No final das observações foi a vez de acompanhar o maior planeta do sistema solar, Júpiter e suas 4 principais luas (Luas de Galileu): Io, Gamimedes, Calisto e Europa.

Com o auxílio de um computador e projetor, fizemos apresentações do software astronômico – STELLARIUM e MITAKA, introduzindo diversos assuntos da astronomia, a exemplo da Radiação Cósmica de Fundo e o Universo em escala.

Essas observações são rotineiras realizadas pela SEASE (são em média 4 observações abertas ao público por mês, sempre em períodos de Lua Crescente e Cheia), cujo objetivo é atender ao público e passar de modo geral um pouco de conhecimento e informação sobre Astronomia na qual é uma ciência pouco divulgada. No Sábado (20) um fato emocionante, comovente e que chamou atenção foi o choro emocionado de um senhor por ter observado o planeta Júpiter com um telescópio pela primeira vez.

Apesar de um público pequeno, nós que fazemos a SEASE somos gratos a todo o público que participou e ter nos proporcionado muitas emoções, contamos com a presença de vocês em outras oportunidades, pois acreditamos que somos capazes de contribuir e mudar a realidade da ciência no nosso estado e para que este sonho seja cada vez mais possível contamos sempre com as colaborações de vocês, seja participando de nossos eventos, compartilhando-os nas redes sociais ou nos ajudando de alguma forma. Ver-nos-emos nas próximas atividades, estão todos convidados!

Fontes:https://pt.wikipedia.org/wiki/Plêiades, https://pt.wikipedia.org/wiki/Sat%C3%A9lites_de_J%C3%BApiter

Créditos de imagens: Liliane Martins

Texto: Jaelsson Lima e Liliane Martins

índic índic- índice- índice-- índice1 índice4 índice5 índice6 índice7 índice8

.

Um momento de brilho de uma estrela Nebulosa de Reflexão IC 2631.

 

Um momento de brilho de uma estrela – Nebulosa de Reflexão IC 2631.

Nebulosas de Reflexão são corpos celestes que refletem a radiação em forma de luz de uma estrela próxima.

A IC 2631 se encontra na Constelação do Camaleão, e é a mais brilhante do Complexo de Camaleão – uma enorme região de poeira e gás cósmico, que serve de berçário para novas estrelas. Ele pode ser observado nas áreas mais escuras da parte superior e inferior da Nebulosa, onde essas nuvens são tão densas que bloqueiam a luz emitida pelas estrelas e impedem a reflexão.

A estrela de iluminação responsável pela reflexão da Nebulosa é a recém-nascida HD 97300, uma estrela T Tauri, a mais brilhante e massiva da sua região. Por ser uma estrela T Tauri, ela ainda está em perspectiva por não ter alcançado o estado estável de uma estrela, a sequência principal, e ainda irá perder massa e diminuir durante o fim de sua formação.

Essas estrelas têm temperatura semelhante e quando estão na sequência principal, sendo que estrelas deste tipo têm uma versão bem maior que a sua posterior. Elas também não começaram a queimar Hidrogênio em Hélio para gerar combustão na estrela, como na sequência principal, mas já geram um grande calor a partir da sua contração.

Nebulosas de Reflexão como a IC 2631 apenas mandam a radiação da estrela de volta para o Espaço. Posteriormente, a radiação estelar com mais energia, como a radiação ultra-violeta de estrelas jovens mais quentes, pode ionizar o gás circundante da Nebulosa, fazendo-a emitir luz: as chamadas Nebulosas de Emissão.

As Nebulosas de Emissão sempre apresentam uma estrela poderosa e muito quente, que não é o caso da estrela DH 97300.

A imagem abaixo foi adquirida pelo Observatório de La Silla (Chile), com o telescópio MPG/ESO de 2,2 metros

Texto de: Victor Souza
Associado da SEASE

Fonte: http://www.eso.org/public/brazil

https://www.facebook.com/sease.astronomia/photos/a.143471339172115.1073741828.143131675872748/463368633849049/?type=3&theater

1 2

Uma rosa cósmica com vários nomes

 

Nova Imagem mostrando a formação estelar em Messier 17, com detalhes da paisagem cósmica de nuvens de gás poeira e estrelas recém-nascidas, obtida pelo instrumento “Wide Field Imager” montado no telescópio MPG/ESO de 2,2 metros no Observatório de La Silla no Chile.

eso1537a

Messier 17 está à cerca de 5500 anos-luz de distância da Terra, próximo ao o plano da Via Láctea na constelação de Sargitário. Este objeto estelar ocupa uma enorme área no céu, suas nuvens de gás e poeiras têm dimensões aproximadas de 15 anos-luz. Este material da nebulosa propicia a formação de novas estrelas.

A nebulosa em questão tem vários nomes atribuídos aos longos das épocas. Ela é conhecida de forma oficial por “Messier 17” devido ao francês Charles Messier em 1764 que catalogava objetos com semelhança a cometas (esta nebulosa foi o objeto número 17 do catálogo), embora tenha sido descoberta pelo astrônomo francês Philippe Loys de Chéseaux em 1745. Os outros nomes associados são: Nebulosa Omega, Nebulosa do Cisne, Nebulosa da Marca de Verificação, Nebulosa da Ferradura e Nebulosa da Lagosta.

A massa do gás da nebulosa é estimada em 30000 vezes a massa do Sol. Contendo um aglomerado estelar aberto de 35 estrelas chamado “NGC 6618”, sendo que o número de estrelas da nebulosa é evidentemente bem maior, existem quase 800 no centro e outras ainda em formação nas regiões periféricas.

No meio do brilho rosado da nebulosa mostram-se regiões mais escuras de poeiras (poeira interestelar) no qual obscurecem a passagem de luz. Porém um fato interessante é que este material obscurante também brilha quando observadas por câmeras infravermelhas, fato não visível na foto em questão, já que a imagem foi obtida na frequência da luz visível.

A imagem foi obtida no âmbito do “programa Joias Cósmicas do ESO” no qual visa obter imagens de objetos interessantes, intrigantes ou visualmente atrativos, utilizando os telescópios do ESO, para efeitos de educação e divulgação científica. E é importante lembrar que o programa utiliza tempo de telescópio que não pode ser usado em observações científicas.

Fonte: http://www.eso.org/public/news/eso1537/

Texto: Jaelsson S. Lima

XV ENCONTRO DE ASTRONOMIA DO NORDESTE

 

O XV Encontro de Astronomia do Nordeste (XV EANE) foi realizado em São Cristóvão/SE, nos dias 04, 05 e 06 de Junho de 2015. A abertura aconteceu no dia 04 de Junho no Auditório da Reitoria da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e todas as demais atividades do evento ocorridas nos dias 05 e 06 também se realizaram no mesmo auditório (UFS), no Bairro Jardim Rosa Elze, São Cristóvão/SE. O Encontro contou com a participação de astrônomos amadores e profissionais, estudantes e entusiastas da astronomia e astronáutica do Nordeste e de outras regiões do Brasil e do Exterior.

1

Figura 1: Uma das fotos oficiais do evento, tirada logo após a Assembleia Geral.

2

Figura 2: Uma das fotos oficiais do evento, tirada logo após a sessão de pôsteres.

A realização do XV EANE no estado de Sergipe revelou um forte desenvolvimento recente em nossa astronomia, que iniciou de forma oficial com a fundação da SEASE em 2001, seguida da construção da CCTECA em 2009, e mais recentemente com a criação do curso de Física com Habilitação em Astronomia na UFS em 2011. Em 2009, no ano internacional da astronomia, a SEASE recebeu o encontro nordestino na ocasião denominado de Encontro Interestadual Nordestino de Astronomia (V EINA), transformando nosso estado em um foco de interesse em astronomia naquele importante ano.

O evento XV EANE foi realizado pela Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE) por meio de sua presidente Hellen Larissa Nascimento Chaves e demais membros da diretoria e sócios, pela Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA – Galileu Galilei) representada por seu diretor Augusto César Silva Almeida, pelo Departamento de Física/Astronomia da (UFS), representado pelo Professor Dr. Sérgio Scarano Jr. e pelo Instituto Federal de Sergipe (IFS) – Campus Aracaju apoiado pela Pró-reitoria de Extensão e Pesquisa – representado pela Professora Drª. Elza Ferreira Santos. Logomarcas das instituições organizadoras, abaixo:

3

 Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE)

4

 Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA – Galileu Galilei)

5

 Universidade Federal de Sergipe (UFS)

6       7

 Instituto Federal de Sergipe (IFS) e Pró-Reitoria de Pesquisa e Extensão (PROPEX/IFS)

A abertura se deu às 17h30min do dia 04 de Junho. Compuseram a mesa autoridades ligadas à organização e realização do evento, como a presidente da SEASE Hellen Chaves, o diretor da CCTECA Augusto César, a Professora do IFS Drª. Elza Ferreira, O Diretor do IFS – Campus Lagarto – Professor Dr. José Osman Santos, o Professor Dr. Sérgio Scarano Jr. pelo Departamento de Física/Astronomia da UFS.

8

Figura 3: Da direita para a esquerda estavam presentes: Augusto César, Sérgio Scarano Jr., José Osman, Elza Ferreira, Hellen Chaves e  Ivo Matias sócio da SEASE na função de cerimonialista.

A palestra de abertura, às 18h, foi proferida pelo Professor do Departamento de Física/Astronomia, Dr. Marcelo Medeiros com o tema: “O Cenário Atual da Formação Estelar”.

9

Figura 4: Dr. Marcelo Medeiros com o tema: “O Cenário Atual da Formação Estelar”.

Após a palestra de abertura houve uma breve apresentação pelo prof. Augusto César, diretor da CCTECA, sobre o “Lançamento da Réplica Sonorizada do Satélite SPUTNIK-1”, cujo trecho da apresentação encontra-se no canal oficial da SEASE no Youtube (https://www.youtube.com/watch?v=dGHFifIaQ7w). Por fim, realizou-se um coquetel na área externa das dependências e um espetáculo musical com a cantora Marisol Mwaba, estudante de Física Bac. com Habilitação em Astronomia na UFS.

10

Figura 5: O prof. Augusto (CCTECA) em sua breve apresentação do “Lançamento da Réplica Sonorizada do Satélite SPUTNIK-1”, ao lado de Rosaly Lopes (JPL/NASA) e Ivo Matias (Sócio da SEASE) no XV EANE.

12 13 11

Figura 6: Fotos do Coquetel de abertura no XV EANE.

14

Figura 7: A cantora Marisol Mwaba fazendo sua linda apresentação no XV EANE.

No segundo dia, 05 de Junho de 2015, as atividades começaram às 8h, com o palestrante Paulo Leme (MPEA – IAG/USP) intitulada “Saturno: O Senhor dos Anéis”.

15

Figura 8: Paulo Leme (MPEA – IAG/USP) com a palestra intitulada “Saturno: O Senhor dos Anéis”.

Após essa palestra, houve as sessões orais com trabalhos nas áreas de ensino, divulgação, instrumentação e pesquisa profissional ou amadora. A seguir, temas e autores:

Apresentadores Tema Apresentado
Tomaz Luís Pontes Dornelles Passamani Associação Paraibana de Astronomia: 48 Anos de Existência
Tomaz Luís Pontes Dornelles Passamani Qual é a proposta pedagógica dos Clubes de Astronomia Amadora?
Everaldo Faustino Dos Santos Júnior Cometas: O que são e como observar?
Guthierre Ferreira Araujo ATROIFS – O Universo em Perspectiva
Marília Gabriela Lima Lira da Silva Design, Tecnologia e Educação: A Astronomia em aplicativo para tablets
Bruna Maria Borba de Carvalho Caracterização Petrográfica e Geoquímica de Fosfatos em Meteorito do Tipo Rumurutito, Amostra NWA-6145
Everaldo Faustino Dos Santos Júnior A construção do Observatório Astronômico Automatizado – OAA – no Sertão Nordestino

Tabela 1: Apresentações orais do dia 05/06, temas e apresentadores no XV EANE.

16 17 18 19 20 Sem título

Figura 9: Fotos da maioria das apresentações orais do dia 05/06 no XV EANE.

Logo após, realizou-se a palestra do Professor Dr. Mário Everaldo do Departamento de Física/Astronomia da UFS, intitulada “Matéria Escura Não Existe!”.

21 22

Figura 10: Professor Dr. Mário Everaldo com o tema: “Matéria Escura Não Existe!”.

As atividades retonaram após o almoço, às 14h, com a palestra magna da pesquisadora Rosaly Lopes, conhecida por seu trabalho em Geologia Planetária no Laboratório de Propulsão a Jato (JPL/ NASA), essa foi a surpresa mais aguardada do evento. Sua palestra, “Titã, a Lua Misteriosa de Saturno”, encontra-se disponível no canal oficial da SEASE no Youtube, em:

(https://www.youtube.com/watch?v=UoYAUIWsGU4&list=PLlmebbgn2zKix4iGy4YEbj1c7CRaHHDOa).

23 24

Figura 11: Rosaly Lopes (JPL/NASA) com a palestra “Titã, a Lua Misteriosa de Saturno” no XV EANE.

Depois da palestra magna, uma pausa para o coffee break e a apresentação dos pôsteres pelos participantes.

25 IMG-20150814-WA0004

Figura 12: Fotos do coffee break.

Ocorreram as seguintes apresentações de pôsteres:

Temas das Apresentações de Pôsteres Apresentadores
Construindo um Heliostato para o OAGLL Roberta Dias dos Santos
Clube de Astronomia Valentina Tereshkova:Experiência de Caso na Divulgação da Astronomia Dominique Alves da Silva Teixeira
Jenivaldo Lisboa de Araújo
André Pereira de Souza
A história da formação da terra em uma visão astronômica Raíssa Millena da Silva
Ana Sofia Brandão dos Santos Silva
Impactos da Poluição Luminosa na Cidade de Juazeiro/BA Sobre O Vislumbramento dos Astros Julia Stéfani De Jesus
Ana Luiza Dias Carahy
Iandra Helena Novaes da Costa
A Constante Cosmologica Suas Implicações e Restrições Patrícia Roberta Barbosa N. de Sá
Valéria Costa Leite
Paradoxo dos Gêmeos e Suas Implicações Marcelo Henrique Souza Silva
Ian Patrique Oliveira Mendes dos Santos
Teorias Buracos Negros e Suas Vias de Regra Maria Daniely da Silva Torres
Marlon Cristian B. do Santos
Galileu e Suas Contribuições Para a Astronomia: Um Estudo Para o Ensino Médio. Mairton Cavalcante Romeu
Antonio Carlos Alencar da Silva
Núcleo de Desenvolvimento do Planetário – OAGLL Rôse Meire Dias dos Santos
Estudo Fotométrico de ER Carinae Genisson Panta da Silva
Características das Luas no Sistema Solar na Atualidade Mariana Siqueira Silva
As contribuições de Stephen Hawking para a popularização da astronomia e teorias buracos negro e suas vias de regras Henry Manfriny Ramos Santana
Gabriel Lucas Ribeiro Ramos
Albert Einstein e Kepler e Suas Contribuições para os Estudos Astronômicos no Ensino Básico Rafael Braga de Almeida
Cleiton Lopes da Gama Junior
Astrobiologia Como Ferramenta Para Explicar a Origem da Vida Adyler dos Santos
Luan Mateus Rodrigues Sousa
A Luz Branca Como Fonte De Poluição Luminosa Glícia Raiane da Silva Oliveira Lima
Ana Joyce Gonçalves Barbosa
Astrofotografias Pré-Históricas Do Ingá Marcelo Zurita
O Ensino do Conteúdo do Universo (Astronomia) nas Escolas Fundamentais da Grande João Pessoa: Na Perpesctiva dos Seus Dirigentes Marianne Vieira Aragão Barbosa
Astronomia em Foco: A Observação Astronômica como Veículo de Aprendizado e Divulgação da Ciência Douglas Vieira Leite
Jean Henrique Menezes Nascimento
Elvis Evangelista Leal
Juarez Menezes Costa Filho
Bruna Alves da Rocha Santana
Ensino e divulgação de Astronomia através de oficinas no Sertão da Paraíba Graciana dos Santos de Sousa
Rosicleia Araújo Monteiro
Amanda Antas Ferreira
Vítor Cordeiro Lopes
Laramusa Mahatma da Silva Nóbrega
Lucas Pedro Sousa
Jonathan Carvalho Souza
O Sistema Solar em perspectiva: Uma proposta de atividade extra sala de aula Antônio dos Santos Ramos
Anderson Moraes Santos
Thezekiel Douglas de Souza Monteiro
Augusto de Rubim Costa Gurgel
Robenilson Ferreira dos Santos
O Ensino da Astronomia para a Formação e Divulgação do Conhecimento Científico Wescley Moreira Canafístula
Antônia Iara dos Santos Mesquita
Mariana Teixeira de Castro
Usando a Astronomia como Divulgação Científica e Estimulo ao Aprendizado de Ciências Antônia Iara dos Santos Mesquita
Wescley Moreira Canafístula
Observação, Registro E Análise do Vale de Grimaldi Felipe Nogueira Neres
ESO: ESO no Brasil ou Brasil no ESO? Felipe Nogueira Neres

Tabela 2: Apresentações de pôsteres com temas e pessoas que apresentaram no XV EANE.

27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52

Figura 13: Fotos da maioria das apresentações de pôsteres no dia 05/06 no Hall da reitoria da UFS no XV EANE.

O encerramento do segundo dia foi com o minicurso do observador e pesquisador Alexandre Amorim (NEOA/JBS). O minicurso se dividiu em três partes, a saber: 1ª parte: “Fotometria”, 2ª parte: “Está preparado para o eclipse total da lua?” e 3ª parte: “Parâmetros fotométricos: o que são?”.

53

Figura 14: Apresentação do minicurso com o Palestrante Alexandre Amorim no XV EANE.

No terceiro e último dia, 06 de Junho, iniciaram-se as atividades com a palestra de Cristóvão Jacques (SONEAR/Observatory) cujo tema foi “A Astronomia no nosso dia-a-dia”.

54

Figura 15: Palestrante Cristóvão Jacques (SONEAR/Observatory) durante sua apresentação no XV EANE.

Em seguida, aconteceu a segunda apresentação do Professor Paulo Leme (MPEA – IAG/USP) com o minicurso sobre Exoplanetas.

55

Figura 16: Palestrante Paulo Leme (MPEA – IAG/USP) na apresentação do  minicurso durante o XV EANE.

Após o minicurso, houve a segunda parte das sessões orais e, assim, finalizou-se a manhã.

Apresentadores Tema Apresentado
Marcelo Zurita Implantação da Primeira Estação de Monitoramento de Meteoros da Paraíba
Adriano Aubert Silva Barros Fotometria de estrelas variáveis a partir de imagens digitais obtidas com DSLR
Renan Aversari Câmara Desenvolvimento de sistemas de controle automatizados para montagens equatoriais
Adriano Aubert Silva Barros Programa Auxiliar para Fotometria Visual para o Iris
José Claudio da Silva Junior A estação de monitoramento de meteoros do OAGLL-BRAMON

Tabela 3: Apresentações orais do dia 06/06, temas e apresentadores no XV EANE.

56 57 58

Figura 17: Algumas fotos das apresentações orais no dia 06/07 no XV EANE.

No retorno do almoço, teve a última etapa das atividades do XV EANE. Na primeira parte, decorreu uma das palestras mais aguardada, a do Professor Dr. João Steiner (IAG/USP), com o título: “Buracos Negros Ativos, Inativos e Múltiplos: Um Recenseamento”.

59

Figura 18: O palestrante o Dr. João Steiner (IAG/USP) na sua apresentação intitulada de: “Buracos Negros Ativos, Inativos e Múltiplos: Um Recenseamento” durante o XV EANE.

Na segunda parte da tarde, foi a vez do brilhante Professor Dr. João Canalle (UERJ – OBA), com a palestra: “O avanço da OBA e da MOBFOG”. Em seguida, o professor Canalle ministrou o minicurso: “Desenhando as órbitas dos planetas e cometas de olhos fechados”.

60

Figura 19: Palestrante Dr. João Canalle (UERJ – OBA) durante suas apresentações no XV EANE.

Na noite do dia 06/06, após a pausa para o coffee break houve a Assembleia Geral, onde foram convocados para mesa os representantes das instituições participantes do XV EANE. Nesta assembleia foram chamados a Presidente da SEASE Hellen Chaves, o Diretor da CCTECA Augusto César Almeida, o Presidente da LINNEA Tomaz Passamani, o Professor Dr. João Canalle organizador da OBA, o Professor Dr. Sérgio Scarano do Departamento de Física/Astronomia da UFS, o Vice-Presidente da APA José Rodrigues, o secretário da SAR Leonardo Neves, o Presidente da Astro/ PE James Solón e  Adriano Aubert coordenador do OAGLL.

61

Figura 20: Da esquerda para direita compondo a Assembleia Geral estavam: Dr. Sergio Scarano (DFI/Astronomia-UFS), Professor Dr. João Canalle (OBA), José Rodrigues (Vice-Presidente da APA), James Solón (Presidente da Astro PE), Adriano Aubert (OAGLL), Tomaz Passamani (Presidente da LINNEA), Augusto César (Diretor da CCTECA), Hellen Chaves (Presidente da SEASE) e Leonardo Neves (Secretário da SAR).

Tomaz Passamini Presidente da Associação Paraibana de Astronomia (APA) e da Liga Norte e Nordeste de Astronomia (LINNEA) abriu a Assembleia Geral parabenizando a todos da organização do XV EANE. Como pauta inicial foi entregue o livro de registro dos EANEs à presidente da SEASE Hellen Chaves, a qual irá elaborar um relatório final para ser entregue no próximo EANE em 2016. Outro ponto da pauta abordado foi o problema da doação recebida pelo Clube de Astronomia Louis Cruls do RJ, onde a Receita Federal apreendeu os óculos e alguns equipamentos doados para o Clube por uma entidade internacional. Tomaz Passamani leu uma monção escrita por ele a ser entregue para o Deputado e Chefe da Câmara Eduardo Cunha sobre mudanças nos critérios de recebimento de doações por entidades de astronomia e ciência no País. O ponto seguinte foi sobre a sede do XVII EANE, não houve presencialmente nenhuma candidatura, mas o Tomaz Passamani conseguiu falar com um representante do IFCE e decidiu que em 2017 o XVII EANE será em Fortaleza nas dependências do IFCE. Outro ponto debatido foi a proposta da presidente da SEASE Hellen Chaves sobre a realização de reuniões mensais com instituições membros da LINNEA, o qual se julgou inviável por conta da baixa temporalidade, decidindo-se entre reuniões semestrais. Augusto César sugeriu que a LINNEA seja mais atuante no sentido de organizar um modelo de como realizar um Evento e que ofereça todo o suporte paras as Sociedades Astronômicas nas realizações dos próximos EANEs ou de arrecadar fundos monetários para as mesmas, algo que se deixou a desejar nesse sentido segundo o mesmo. O Dr. João Canalle deu a ideia para as Sociedades Astronômicas de insistirem mais em submeter projetos em programas de apoio à pesquisa com o objetivo de arrecadar financiamento para os mesmos, sejam estes, locais, regionais, ou nacionais. Dr. Sergio Scarano Jr. foi simples e falou de forma emocionante e fantástica, prestando uma bela homenagem a todos aqueles da equipe e em especial aos membros da diretoria da SEASE por sua garra, persistência e luta durante toda a construção do Evento. Por fim, o Presidente da Astro PE, James Solón, teve sua fala sobre o XVI EANE em Recife/PE, após o término ele apresentou um vídeo sobre o encontro, suas atividades e a cidade do Recife. Declarada assim oficialmente encerrada a assembleia geral e, por conseguinte, o XV EANE.

No Domingo de manhã, no dia 07 de Junho de 2015, houve uma atividade extraordinária, um breve encontro para os participantes e palestrantes que ainda estavam na cidade de Aracaju. O Diretor da CCTECA fez uma apresentação da casa, sua estrutura e funcionamento, além dos projetos que a mesma realiza. Após a explanação, foram apresentados os experimentos existentes na casa, no final teve uma sessão do planetário. Sendo assim, toda e qualquer atividade ligada ao XV EANE foi encerrada.

62 63 64

Figura 21: Imagens durante a visita de participantes e alguns palestrantes na  CCTECA em 07/06 no encerramento da última atividade relacionada ao XV EANE.

Agradecimentos: Nossos profundos agradecimentos a todos aqueles que de forma direta ou indireta contribuíram para a realização do XV EANE e em especial: À CAPES pela concessão de auxílio financeiro através do “Programa de Apoio a Eventos no País” (PAEP), ao “Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe” (SINTESE) pelo espaço concedido para dormitório, a “Central Única dos Trabalhadores – Sergipe” (CUT/SE) por conceder espaço para dormitórios, ao “restaurante e churrascaria Sal e Brasa”, por conceder almoços e jantas aos nossos palestrantes e fazer um preço especial aos participantes do evento, à “Íntegra Projetos de Engenharia Ltda” pelo patrocínio em compra de passagem aérea, à “Secretaria de Estado da Educação – Sergipe” (SEED/SE) pelo apoio em transporte para os palestrantes, ao “restaurante VIP” pelo abatimento nos preços de almoço e jantar para os participantes do evento e a todos que contribuíram com o “Livro de Ouro”, livro este que a equipe organizadora arrecadou doações monetárias e, por falta de espaço, é inviável citar aqui cada contribuinte. Logo abaixo as logomarcas das instituições e empresas citadas:

65     66

CAPES e Programa de Apoio a Eventos no País (PAEP)

67

Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe (SINTESE)

68

Central Única dos Trabalhadores – Sergipe (CUT/SE)

69

Restaurante e Churrascaria Sal e Brasa

70

Íntegra Projetos de Engenharia Ltda

71

Secretaria de Estado da Educação – Sergipe (SEED/SE)

72

Restaurante VIP

ANEXOS:

Marcaram presença de forma identificada no XV EANE representantes de 42 instituições de todo o País, entre elas: Universidades, Grupos ou Sociedades Astronômicas e outros. Os gastos contabilizados com a realização do XV EANE foram de R$21.382,45.

Na realização do XV Encontro de Astronomia do Nordeste (XV EANE) fizeram parte da Coordenação-Geral do Comitê Organizador: Hellen Larissa S. N. Chaves (Presidente da SEASE), Jaelsson S. Lima (Vice-Presidente da SEASE), Dinorah Barbosa da F. Teixeira (Secretária Geral da SEASE), Ívina Siqueira Perrucho Mittaraquis (Tesoureira da SEASE), Silvio Willian Caires Batista (Secretário de comunicação da SEASE), Ivo Matias Campos (Sócio da SEASE), Augusto César S. Almeida (Diretor da CCTECA e sócio da SEASE), Drª. Elza Ferreira Santos (Professora do IFS – Campus Aracaju) e Dr. Sérgio Scarano Jr. (Professor do DFI/Astronomia-UFS). Os demais componentes da equipe organizadora foram em sua maioria sócios da SEASE e outros, seria inviável citar todos aqui.

73

Figura 22: Foto com a maioria dos componentes da equipe organizadora no XV EANE.

74

Figura 23: Foto com a maioria dos componentes da equipe organizadora e maioria dos palestrantes no XV EANE.

Resumo do XV EANE em números:

228 Inscritos (143 homens e 85 mulheres),

211 participantes (135 Homens e 76 mulheres) + convidados,

8 palestrantes (7 homens e 1 mulher),

7 palestras e 3 minicursos,

26 apresentações de pôsteres (Das 26 apresentações 57 pessoas apresentaram, 31 homens e 26 mulheres),

12 apresentações orais (10 apresentações orais foram feitas por pessoas do sexo masculino, tendo sido apenas 7 homens pois alguns fizeram mais que uma apresentação, e 2 apresentações foram feitas por pessoas do sexo feminino),

Coordenação-Geral do Comitê Organizador: 9 componentes (5 homens e 4 mulheres),

R$ 21.382,45 foram todos os gastos contabilizados,

42 instituições do País foram representadas.

 

 

Outras informações relacionadas:

Nosso site: http://sease.org.br/

Nosso canal oficial no Youtube: https://www.youtube.com/c/SeaseAstronomia

Página do evento no facebook: https://www.facebook.com/xveane

Nossa página no facebook: https://www.facebook.com/sease.astronomia

Versão PDF do Relatório XV EANE: RELATÓRIO DO XV ENCONTRO DE ASTRONOMIA DO NORDESTE

 

Texto: Jaelsson S. Lima e Ivo Matias Campos