I Feira da Leitura e do Livro de Sergipe – Flise

 

A Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE), marcará presença realizando observações do Sol com filtro apropriado e noturnas com telescópios na “I Feira da Leitura e do Livro de Sergipe – Flise”  que ocorrerá nos dias 6, 7 e 8 de novembro de 2015, segue-se  o nosso cronograma no evento e todo o cronograma do evento:

programacao2015_2 - Cópia

Cronograma completo:

programacao2015_1 (1)

programacao2015_2

Mais informações do evento na página oficial  AQUI

Observações com Telescópios 16 e 17 de Outubro de 2015!

 

OBSERVAÇÕES COM TELESCÓPIOS
Obs.: As observações serão suspensas em caso de chuva!

Outras informações: (https://www.facebook.com/sease.astronomia/photos/a.143471339172115.1073741828.143131675872748/433653663487213/?type=3&theater)

SEASE_Out

Créditos de imagens: Tarcísio Barreto (paisagem cósmica de M45 [http://astrofotografiasergipe.blogspot.com.br/2014/01/m45-com-lente-sigma.html]), Luiz Felipe (Lua).

SOBRE AS OBSERVAÇÕES DO ECLIPSE TOTAL DA LUA EM 27 DE SETEMBRO DE 2015 EM ARACAJU/SE

 

A Sociedade de Estudos Astronômicos de Sergipe (SEASE), juntamente com a Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA) – Galileu Galilei, realizaram observações abertas ao público na área externa da CCTECA neste Domingo (27) e finalizando já na madrugado de Segunda (28). Apesar de termos colocado no cartaz o horário (20:30h-02:00h), já haviam pessoas no local às 18h! O que mostra a boa divulgação da SEASE, CCTECA, e dos meios de comunicação.
Foram usados nas observações os telescópio de 90mm Maksutov, o Dobsoniano de 180mm, refrator de 70mm, 4 binóculos e diversas oculares (lentes) que permitira aumentos de 40x até 170x, onde foram observados as crateras da Lua e outros detalhes desde a entrada na penumbra até sua totalidade. O público também levou binóculos e telescópios.
As pessoas presente que assinaram a lista foram mais de 500, sendo um público estimado na faixa de 650 pessoas. Com o uso do software astronômico “Stellarium” foram feitas simulações do eclipse em tempo real e respondendo perguntas e curiodades do público,além do uso do site (http://www.shadowandsubstance.com/) que mostra diferente perspectiva e simulações do Eclipse.

Sobre o evento astronômico envolvido

É o alinhamento do Sol, da Terra e da Lua, tal que alguma região da Lua atravessa a sombra da Terra. Eclipses da Lua somente podem ocorrer na Lua cheia, quando a Lua se encontra na posição oposta à do Sol no céu. A sombra da Terra é composta de 2 partes: a externa, denominada penumbra, menos escura (um observador situado nela veria o disco solar parcialmente ocultado pela Terra) e a interna, mais escura, denominada umbra (dentro da qual, a Terra seria vista ocultando totalmente o Sol).

Tipos de eclipses:

*Eclipses Penumbrais-
Quando a Lua passa pela penumbra, mas não cruza a umbra, diz-se que o eclipse é penumbral. Esse tipo de eclipse passa despercebido na maioria das vezes. Somente quando a Lua fica com mais de 60% do seu disco imerso na penumbra, é que um leve escurecimento do seu disco se torna perceptível a olho nu.

*Eclipses Umbrais-
Os eclipses lunares umbrais são aqueles, nos quais, uma parte do disco lunar cruza a umbra. Eles podem ser parciais ou totais, dependendo se a Lua fica parcial ou totalmente imersa na umbra. Além disso, se algum ponto do disco lunar passar pelo eixo (centro) da sombra, diz-se que o eclipse é central. Somente eclipses totais podem ser centrais, porque o raio da umbra é sempre maior que o diâmetro aparente da Lua.

O tom avermelhado se dá porque mesmo que a Terra bloqueie todos os raios do sol, a luz do astro se inclina ao redor da borda da Terra, e essa luz é refletida na lua. A “cor” avermelhada vem dos raios de luz indiretos que estão sendo filtrados pela nossa atmosfera – o mesmo efeito visual que faz um pôr do sol marcante. A nossa atmosfera funciona como um filtro, removendo a maioria da luz de cor azul, deixando apenas a luz vermelha e laranja que enfeitam a superfície da lua.
Ainda assim, a cor não é estática. A lua pode mudar várias vezes durante as diferentes fases do eclipse, que vão de um cinza inicial ao laranja e âmbar. O brilho das cores também pode ser afetado pelas condições atmosféricas. Partículas extras na atmosfera, como as de uma erupção vulcânica recente, poderiam fazer com que a lua parecesse um tom mais escuro de vermelho.

Outro evento importante que ocorreu com o nosso satélite, foi a “Super Lua”, que ocorre quando a Lua entra no seu perigeu, que é o ponto mais próximo de sua órbita da Terra. Fazendo com que possamos vê-la maior e mais brilhante.

Créditos de imagens: Sócios da SEASE e colaboradores.

Texto: Thaynara Santos e Jaelsson Lima

Anexos:

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46

A World Space Week (Semana Mundial do Espaço)

 

Venha participar com a gente!!

12112251_431390657046847_460179543996717504_n

A World Space Week (Semana Mundial do Espaço) foi declarada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 6 de dezembro de 1999, um evento de celebração anual que ocorre sempre entre os dias 4 e 10 de outubro. Essas datas não foram escolhidas por acaso e marcam dois eventos importantes na conquista espacial. Em 4 de outubro de 1957 era lançado o primeiro satélite artificial, o Sputinik 1, que marcou o início da exploração do Espaço. O dia 10, por sua vez, mais especificamente 10 de outubro de 1967, marca o dia da assinatura do Tratado do Espaço, que regula os princípios da exploração e uso pacífico do mesmo. Nesta semana, então, aproveita-se para mostrar e divulgar a importância que tem o estudo do espaço para a evolução da tecnologia e do conhecimento humano, despertando assim o interesse pela ciência. A SEASE, portanto, não poderia deixar esta data em branco e convida a todos a participar conosco.